Driveclub

Jan 23

Jan 23

Como Far Cry New Dawn Reimaginou Hope County

O Diretor Criativo Jean-Sébastien Decant revela detalhes sobre a mais nova aventura de Far Cry.

Matthew Groizard's Avatar Postado por Content Producer, SIEE

Um inesperado novo capítulo da franquia Far Cry chega ao PS4 em 15 de fevereiro. Far Cry New Dawn é a sequência arrojada e colorida do FPS de mundo aberto do ano passado, retornando à ação 17 anos depois que Montana foi dizimada por explosões nucleares.

Para criar uma nova abordagem para Hope County, a equipe da Ubisoft radicalmente mudou a aparência, as mecânicas e a jogabilidade de Far Cry 5, criando uma experiência que é familiar, mas ao mesmo tempo surpreendente.

Para ter uma ideia melhor do que esperar quando o jogo for lançado no próximo mês, e para entender melhor as mudanças que afetam o jogo em si, sentamos para conversar com o Diretor Criativo Jean-Sébastien Decant.

Montana é muito mais variada que antes

17 anos se passaram desde os eventos de Far Cry 5, e o mundo foi destroçado pelo holocausto nuclear — não é preciso dizer que Hope County mudou

“O mundo foi rapidamente retomado pela natureza nesta época, e as consequências do desastre causaram algumas mudanças surpreendentes: alguns elementos da costa oeste, por exemplo, como areia e algumas sementes, foram movidos para o interior pelos fortes ventos, então agora você tem pedaços áridos e flores incríveis bem no centro de Montana”, diz Jean-Sébastien.

“Você tem as florestas exuberantes de antes, mas as campinas foram substituídas por dunas de areia maciças. Há algumas áreas que são super poluídas, quase zonas mortas, e finalmente, temos áreas de alta radiação que criam barreiras no mundo, mas que contém alguns segredos escondidos que você pode achar depois”.

Você não está salvando a civilização, está reconstruindo-a

Marcar progresso em um mundo aberto é sempre uma arte complexa, e uma que a Ubisoft tem aperfeiçoado há anos. Conforme Jean-Sébastien explica, no entanto, a equipe não tinha intenção alguma de refazer o que já fora criado em seu último jogo.

“Em Far Cry 5 tínhamos o Medidor de Resistência que mudava com a história. Colocamos ele no gelo, mas queríamos algo que marcasse o progresso de forma orgânica, então criamos a “Prosperity” da sua base”.

Prosperity é a comunidade pacífica onde você começará sua jornada, mas ao contrário de Dutch’s Bunker, há mais oportunidades para fazer disso um lar ao invés de apenas um buraco.

“Você encontrará recursos, investirá em sua base e a história avançará conforme você o fizer, atraindo novas vidas — pessoas, crianças e até animais — e eles também afetarão o que acontece no jogo, fazendo comentários sobre os momentos maiores da história que se desdobrarem”.

“Há sete tipos de instalações dentro de Prosperity — incluindo a garagem, o jardim de cura e a mesa de cartografia — e estes podem todos ser expandidos e melhorados com recursos para subir seu personagem de nível e destravar novas ferramentas, veículos e armas”.

Criação de itens é tudo: se não puder comprar, construa

A franquia Far Cry não é nova ao conceito de “crafting”; com mecânicas para combinar materiais e construir novos itens tendo um papel significativo na maioria dos jogos desta geração. Em New Dawn, no entanto, a equipe foi confrontada com uma narrativa clara que incentiva ir além do que já foi feito no passado.

“Caçar, coletar o que conseguir e juntar objetos para criar armas e ferramentas é essencial para a narrativa do mundo. Isso nos deu ideias para armas novas muito loucas, como o atirador de lâminas de serra”.

“Em Far Cry 5, você podia comprar armas e melhorá-las com escopos e silenciadores, mas em New Dawn queríamos uma nova abordagem. Todas as armas são únicas e não podem ser customizadas — se quiser novas armas, algo mais poderoso ou eficiente, você terá de encontrar os materiais e construí-la”.

É claro, as vezes as pessoas se apaixonam por uma arma e querem ficar com ela. O que fizemos para estes jogadores é permitir que você possa investir recursos em uma arma para melhorar seus atributos”.

Hope County tem uma biosfera nova perigosa

Aqueles familiares com a cultura pop e seus cenários pós apocalípticos mais típicos terão uma boa ideia do que esperar do nosso. A equipe da Ubisoft, no entanto, estava determinada a colocar suas próprias reviravoltas nestes temas tão familiares.

“Estudamos o que poderia acontecer em uma situação como a de Far Cry New Dawn, e tentamos criar cenários críveis, mas tínhamos um pequeno ás em nossas mangas: Bliss. Havia um montão dessa droga em Hope County que o culto usava para manter as pessoas sedadas. Pensamos: Imagine se misturássemos isso com radiação?”

“Isso nos deu uma maneira de criar algumas surpresas para o jogador, em sua maior parte com animais, mas em algumas outras coisas também… que serão reveladas mais tarde”.

“Haverá algumas batalhas bem difíceis, mas o que você consegue delas é necessário para criar algumas das armas mais poderosas no jogo”.

Os cultistas foram embora, mas os bandidos chegaram

Os cultistas de ‘Project at Eden’s Gate’ de Joseph Seed foram um fator central da narrativa e jogabilidade de Far Cry 5, mas de que adiantam cultistas do apocalipse quando o apocalipse já aconteceu? Daí surge um novo tipo de inimigo para atormentar os jogadores: os Highwaymen.

“Os Highwaymen — os adversários centrais do jogo — não são tão organizados como os cultistas do Project at Eden’s Gate, e eles não têm uma doutrina fixa. Estão juntos apenas por que precisam de poder para sobreviver: um lugar para dormir a noite de forma segura.

“Eles são saqueadores em essência — violentos e desesperados, mas tão focados e obstinados quanto os cultistas — e estão atrás dos mesmos recursos que você. Ethanol é o combustível principal do jogo, e é coletado e estocado pelos Highwaymen, então você terá de combatê-los para assegurar acesso aos recursos que precisará para expandir sua base e mantê-la funcionando”.

O mundo não tem tanto pé no chão

Há uma tradição na franquia Far Cry de pegar mundos de jogos e revigorá-los com interpretações altamente imaginativas — vimos isso em Far Cry 3: Blood Dragon e Far Cry Primal, e Far Cry New Dawn, como explica Jean-Sébastien, não é exceção.

“Temos muitas coisas malucas no jogo, pois esperamos que as pessoas apreciem poder brincar. Há uma vestimenta no estilo Planeta dos Macacos, e um conjunto completo de membros mecânicos que podem ser destravados ao completar postos avançados”.

“Adicionamos estilos de barba à criação de personagem, e você pode usá-las tanto em personagens masculinos quanto femininos. As pessoas ficaram bastante apegadas às vestimentas que criamos para Far Cry 5. Queríamos mantê-las, mas também adicionar coisas novas para dar o máximo de variedade e loucura que podíamos”.

Você pode ir além de Hope County

“Em Far Cry New Dawn, o planeta inteiro foi afetado, então há uma oportunidade de imaginar locais fora das áreas principais do jogo. Isso nos inspirou a criar um novo e desafiante modo co-op cujo foco são as áreas fora do centro do jogo.

“Chamamos isso de ‘Expeditions’, e temos sete mapas totalmente diferentes: um parque de diversões no Bayou; a prisão abandonada da Ilha de Alcatraz para qual você viaja de helicóptero, em busca de recursos específicos para trazer de volta”.

“Essas áreas são bastante grandes, mas exatamente por serem separadas do jogo principal, não temos as mesmas restrições técnicas. Isso significa que podemos melhorar gráficos e criar novos cenários que são muito mais maníacos do que o esperado em Far Cry — com mais inimigos ou espaços internos maiores que criam experiências de jogo completamente diferentes”.

Far Cry New Dawn chega em 15 de fevereiro e está disponível para a pré-venda na PlayStation Store.

PlayStation Blog