Como a tecnologia do PS5 deu vida ao jogo A Plague Tale: Requiem

0 0
Como a tecnologia do PS5 deu vida ao jogo A Plague Tale: Requiem

O Asobo Studio fala sobre as melhorias visuais e recursos imersivos da sequência que está chegando.

Oi, pessoal! Eu sou o Nicolas Bécavin, programador líder de engines de A Plague Tale: Requiem. O jogo será lançado dia 18 de outubro, e estou aqui para dar uma pequena prévia do que você pode esperar em relação a essa tecnologia! 

Como a tecnologia do PS5 deu vida ao jogo A Plague Tale: Requiem

Dando um salto para a nova geração 

Decidimos desenvolver A Plague Tale: Requiem no PlayStation 5 para nos libertarmos completamente das amarras da geração passada e aproveitarmos ao máximo os recursos da nova geração. O potencial que ela oferece é incrível! Veja o tempo de carregamento, por exemplo: ele é reduzido de uma forma que permite com que um novo design de mapa e níveis seja possível. E com ainda mais memória, temos uma distância de visão maior, o que significa que você poderá ver muito mais longe. Os horizontes serão literalmente expandidos! Isso resulta em ambientes muito mais abertos do que os que foram apresentados no primeiro jogo.

Liberando os ratos 

Ratos são um elemento chave de A Plague Tale, e neste segundo jogo nós quisemos levar as possibilidades da nova geração ao máximo para que o trauma e o horror induzido por ratos atinjam novos níveis. O número de ratos em tela foi multiplicado por 60, aumentando de 5.000 para 300.000! É um bom número para transmitir a visão do apocalipse que oprime cada vez mais os nossos heróis. Também mudamos o aspecto da movimentação deles para que pareçam uma onda gigante, como se fosse um tsunami caindo sobre você. Temos a sorte de trabalharmos com o nosso próprio motor gráfico e podermos contar com ele para encarar renderizações desafiantes como esta, de um elemento que é completamente específico de A Plague Tale. 

Lançando uma nova luz em um mundo encoberto 

Graças ao poder da nova GPU, a qualidade da iluminação pode ser drasticamente aprimorada. Com uma ampla gama de ferramentas técnicas e restrições reduzidas, podemos acentuar o papel da luz, e novas situações que envolvem luz podem ser introduzidas. Hugo e Amicia irão descobrir novas sensações enquanto viajam para o sul, e o jogador também! Graças a esse novo nível de detalhes, eles irão experimentar uma atmosfera profusa em feixes de luz e iluminação aperfeiçoada sobre elementos atmosféricos, como a névoa volumétrica.

Um colírio da próxima geração 

A tecnologia de Requiem não só leva os jogadores a um ambiente com uma atmosfera mais vívida, mas também traz mais profundidade à simulação visual em geral. Isso inclui uma maior qualidade geométrica: tecnicamente, existem mais polígonos na malha! A resolução das texturas também foi melhorada. Um bom exemplo de como esses avanços afetam a experiência no jogo é o alto nível de detalhes com que os terrenos serão renderizados. Por exemplo, nós nos apoiamos muito no mapeamento da oclusão de paralaxe para adicionar pequenos detalhes volumétricos sobre os terrenos e adereços. Também haverá mais objetos físicos e dinâmicos que irão afetar a maneira com que as roupas são renderizadas.

Espaço 3D

Além de toda essa magia, a experiência espacial será aprimorada graças ao áudio em 3D. Isso significa que você poderá perceber onde está o personagem que está falando: atrás de você ou na sua frente, acima ou abaixo… Os jogadores serão completamente cercados pelo jogo e envolvidos de uma forma muito mais realista e imersiva.

O novo controle do PlayStation 5, o DualSense, também foi um dos nossos principais pontos de foco. Ele traz uma tecnologia excepcionalmente imersiva através da resposta tátil e dos gatilhos adaptáveis. Vou passar a palavra para dois de meus colegas de estúdio para que expliquem isso melhor. 

Usando o DualSense para quebrar barreiras entre a tela e o jogador

Olá a todos! Nós somos Cyril Doillon, programador líder, e Aurelien Piters, diretor de áudio do Asobo Studio. Estamos muito empolgados com tudo o que a nova geração traz ao jogo… com menção especial ao controle DualSense do PS5! Ele traz um nível totalmente novo de realismo e imersão para A Plague Tale, com diversos recursos novos adicionados após Innocence. Tem sido incrível trabalhar com isso e nos esforçamos para aproveitar essa brilhante tecnologia ao máximo. Estamos aqui para atualizar vocês sobre as inovações do DualSense reservadas no novo capítulo de A Plague Tale!

Resposta tátil e gatilhos adaptáveis 

Uma das inovações mais revolucionárias do controle DualSense é a resposta tátil com gatilhos adaptáveis. Começamos a pensar na sua implementação enquanto trabalhávamos na adaptação de Innocence para a nova geração, o que nos deu uma ideia das escolhas mais relevantes para o nosso novo jogo. Requiem irá introduzir respostas físicas realistas e melhorias na jogabilidade que estão ligadas a isso. A resposta sensorial fornecida vai criar sensações realistas no uso de armas e ferramentas. 

Se uma arma precisa de mais pressão, por exemplo, os gatilhos adaptáveis vão ajustar a sensação de esforço fornecida ao jogador. No que se refere ao estilingue, se você segurar o botão por muito tempo, vai perder a precisão. Gatilhos adaptáveis vão dar a impressão de que atirar é mais difícil, o que também serve para o jogador como um indicador para decidir o momento certo de atirar.

Amicia também terá uma nova arma: uma besta, que irá obedecer à mesma regra. Ao mesmo tempo, sua física não é a mesma que a do estilingue. É mais poderosa, porém mais lenta de se usar e de equipar. Tais qualidades sensoriais terão seu lugar na simulação graças aos gatilhos adaptáveis. Você terá que apertar uma primeira vez para equipar a besta, e então uma segunda vez para atirar. Essa tecnologia de vibração da nova geração que nos permite conectar uma reação física aos comandos do jogador é algo muito incrível para nós, desenvolvedores. Estávamos acostumados a trabalhar com imagem e som, e agora podemos criar efeitos diretamente nos dedos do jogador para simular uma ferramenta de verdade.

Há também alguns aspectos inéditos para comunicar o movimento dos personagens: a resposta tátil é usado para simular o efeito de cada passo enquanto você corre, produzindo pequenas vibrações para que o jogador sinta o ritmo da corrida, dando a impressão de estar lado a lado do personagem e de partilhar suas sensações.

Áudio aprimorado pela resposta tátil

O áudio também foi totalmente retrabalhado com a resposta tátil. Você pode sentir infestações de ratos sutilmente pelo controle, através de vibrações estéreo. É como se você pudesse tocar os sons. Esse também é o caso das explosões e animações em tempo real, que afetam você fisicamente graças à gama de retornos sensoriais oferecida pelo controle DualSense. As oportunidades que ele oferece trazem toda uma nova dimensão à jogabilidade: você poderá sentir os movimentos ao seu redor, como de onde os ratos estão vindo, por exemplo! O jogo oferece situações mais completas graças à percepção aumentada do ambiente, que irá incluir não apenas interação direta, mas também elementos semidistantes. 

Alto-falante do DualSense 

Outra inovação trazida pelo DualSense é o seu alto-falante embutido. Usamos ele para tocar os sons das armas quando você não estiver usando o headset, o que dá uma resposta sonora para o jogador quando usar o estilingue e a besta. Isso entrega uma experiência muito mais dinâmica, com a possibilidade de ouvir uma flecha ou uma pedra no ar. É um terceiro alto-falante dado ao jogador, que permite que respostas sutis sejam fornecidas além do resto da trilha sonora, agindo de maneira independente da música e do som ambiente.

A Plague Tale 2.0

Para resumir, nós abraçamos totalmente as oportunidades da nova tecnologia para entregarmos ambientes mais abertos, com mais luz, mais detalhes, mais geometria, mais textura. Ah, e mais ratos!

Esperamos que você goste de todas essas perspectivas e se prepare para embarcar na próxima jornada de Amicia e Hugo no dia 18 de outubro! Você já pode comprar o jogo na pré-venda para PS5.

Por favor, informe a sua data de nascimento.