Detalhes da história que você precisa saber antes de jogar God of War Ragnarök

4 0
Detalhes da história que você precisa saber antes de jogar God of War Ragnarök

Felicia Day e Mimir, o Homem mais Inteligente Vivo, recapitulam a história até agora em Mitos de Midgard.

Os fãs de God of War foram apresentados a um novo lado de Kratos quando God of War foi lançado para PS4 em 2018. Se você ainda não experimentou a história de pai e filho viajando pelos reinos mitológicos nórdicos, ou se já faz um tempo que não está por dentro, estamos prontos para atualizar você dos acontecimentos.

Para nos prepararmos para o lançamento de God of War Ragnarök em 9 de novembro, convidamos dois dos melhores contadores de histórias que conhecemos para recapitular a jornada de Kratos e Atreus de God of War (2018): a incrível Felicia Day e Mimir, o Homem mais Inteligente Vivo! 

O novo vídeo de Mitos de Midgard é um livro de histórias animado contando os eventos de God of War (2018), com o objetivo de atualizar você sobre o jogo anterior. 

Antes de assistir, cuidado! Há spoilers à frente! 

Detalhes da história que você precisa saber antes de jogar God of War Ragnarök

Claro, a melhor maneira de experimentar God of War (2018) é pegar o Machado Leviatã e entrar na batalha (disponível com planos de assinatura PlayStation Plus Extra e Premium*). Você também pode garantir a Edição deluxe digital de God of War (2018) com desconto durante a Promoção de Inverno da PlayStation Store até 17 de agosto! 

Esperando ansiosamente por um resumo ainda mais detalhado de God of War (2018)? Continue lendo para uma recapitulação completa.

Recapitulação da história de God of War (2018) 

Nossa história começa com um fim: o funeral de Faye, mãe de Atreus e esposa de Kratos. O último desejo que ela comunicou à família foi que espalhassem suas cinzas do pico mais alto dos reinos. Esse pedido dá início a uma jornada que obriga pai e filho a trabalhar juntos para encarar a perigosa natureza nórdica, repleta de feras, monstros e deuses nada amigáveis.  

O pai 

Apesar da tentativa de deixar para trás seu passado sangrento como Fantasma de Esparta, Kratos continua sendo perseguido pelo homem – ou pelo deus – que costumava ser. Sua relação com Atreus é distante, rígida e disciplinada. Ao lidar com a morte da esposa, Kratos também precisa aprender a ser o pai de que seu filho precisa, para que os dois possam sobreviver à jornada por reinos distantes e garantir à Faye seu repouso final.   

O filho 

Atreus é um jovem garoto que está lidando com a repentina perda de sua mãe e com um pai frio e distante Apesar da saúde constantemente debilitada durante a infância e de apenas recentemente ter se recuperado o bastante para viajar, tudo que Atreus quer agora é cumprir o último desejo de sua mãe e provar sua força para o pai. 

Faye ensinou Atreus a usar o arco e a caçar, e ele espera mostrar a Kratos que pode ser útil na jornada e que não é mais o garoto frágil que costumava ser. 

A chegada do Desconhecido 

Após o funeral de Faye, Kratos e Atreus recebem a visita de um desconhecido misterioso: alguém que parece decidido a travar uma luta com o lendário Deus da Guerra de uma terra distante. Baldur diz ter sido enviado por Odin para investigar aquela casa e seus habitantes, o que indica que talvez ele e o restante das divindades nórdicas estejam muito mais cientes do passado de Kratos do que seu próprio filho. 

Eles se enfrentam, arruinando o terreno e as rochas ao redor da casa em uma luta sangrenta. Esse episódio revela que Baldur perdeu a capacidade de sentir qualquer coisa e se tornou insensível à dor e ao prazer. Embora seja uma luta difícil, Kratos consegue canalizar sua raiva e, assim, dominar Baldur. Apesar de ter conseguido livrá-los da ameaça imediata, Kratos percebe que sua casa e seu filho não estão mais em segurança. Eles precisam iniciar a jornada imediatamente, esteja Atreus pronto ou não. 

Amigos inesperados em lugares inesperados 

Acreditando estar em busca do pico mais alto de Midgard, Kratos e Atreus partem em direção à montanha mais imponente do reino. 

No meio do caminho, eles encontram os Irmãos Huldra, Brok e Sindri, renomados ferreiros anões. Embora os irmãos estejam passando por uma tensão familiar, Brok e Sindri oferecem ajuda e seus serviços ao ver que Kratos carrega o Machado Leviatã, uma arma que eles mesmos forjaram para sua amiga Faye, a falecida esposa de Kratos. 

Eles também se deparam com a misteriosa Bruxa do Bosque, que oferece a pai e filho sua ajuda, incluindo conhecimento sobre como usar a Bifröst, um instrumento mágico que permite aos dois viajar entre os Nove Reinos. Mais tarde, revela-se que a Bruxa é, na verdade, a deusa Vanir, Freya, mãe de Baldur e esposa exilada de Odin. 

Missão cumprida! Será mesmo? (Não foi, não) 

Quando Kratos e Atreus finalmente conseguem chegar ao pico seguindo as instruções de Freya, lá encontram Baldur acompanhado por dois imponentes cúmplices: Magni e Modi, filhos de Thor. Eles espiam os três interrogando um homem incorporado a uma árvore, mas os deuses Aesir logo vão embora, sem ter conseguido o que queriam do evasivo prisioneiro. 

Mimir, no passado embaixador e conselheiro de Odin, afirma ser o homem mais inteligente vivo e, atualmente, está sendo punido por suspeita de ter traído o Pai-de-Todos. 

Ele revela que, apesar de nossos heróis terem chegado ao pico mais alto de Midgard, ainda não alcançaram o pico mais alto dos reinos. O verdadeiro destino que eles buscam fica em Jötunheim e, pelo que se sabe, será bastante difícil chegar até lá, pois a entrada do reino está totalmente bloqueada. 

Mimir conhece outra maneira, mas antes concede a Kratos o prazer de decapitá-lo e de expor sua situação à Bruxa do Bosque, para pedir que ela ressuscite com magia a cabeça decepada, que então estará livre da prisão de Odin.  

Tendo por fim descoberto que Freya é uma deusa, Kratos passa a desconfiar dela, bem como desconfia de todos os outros deuses. Após ressuscitar Mimir, ela aconselha Kratos a contar para Atreus que ele é parte deus, assim como o pai. Freya o alerta que negar a verdadeira natureza do filho apenas trará sofrimento ao garoto. 

Ignorando o conselho dela, Kratos, Atreus e a cabeça recém-ressuscitada de Mimir partem em busca dos instrumentos necessários para abrir uma passagem para Jötunheim. 

Filhos de Thor 

Durante a jornada, o trio cai na emboscada dos dois homens que acompanhavam Baldur: Magni e Modi. Eles lutam contra Kratos e Atreus com bravura, mas Kratos consegue desferir um golpe fatal em Magni. 

Modi escapa, mas mais tarde encontra a dupla outra vez. Ao aniquilar Kratos, ele espera recuperar sua honra e provar ser digno do legado de Thor. Modi domina Kratos, mas, ao ver o pai em perigo, Atreus instintivamente desencadeia o que parece ser sua própria habilidade de Fúria Espartana.

Sem ter ciência de que é parte deus, Atreus, abalado pelo repentino pico de energia, fica inconsciente: a doença da sua infância parece ter voltado, e ainda pior do que antes. Kratos se defende de Modi, que logo vai embora ao perceber que a própria vida está em perigo. Vendo que Atreus permanecia vivo por pouco, Kratos leva o filho até Freya na esperança de que a magia da deusa possa salvá-lo.   

O preço dos segredos 

Freya revela que a doença de Atreus é causada pelo conflito entre sua natureza divina e o desconhecimento desse fato. Ela acredita conhecer um tratamento capaz de despertá-lo, mas que exige o coração de uma criatura de Helheim, o reino dos mortos.

Sabendo que o Machado Leviatã, que concentra o elemento gelo, será de pouca utilidade nas terras inférteis e congeladas de Hel, Kratos volta para casa e recupera uma parte do seu passado que esperava abandonar: as Lâminas do Caos. 

As Lâminas foram um instrumento ardente de carnificina e também um símbolo da servidão de Kratos aos deuses gregos, muitos dos quais ele exterminou durante sua vida como Deus da Guerra. Consciente de que elas são a chave para ajudar seu filho, Kratos decide reconhecer seu passado para poder salvar Atreus e empunha mais uma vez as Lâminas do Caos. 

Kratos consegue levar o coração para Freya, o que lhe permite salvar Atreus. Após o filho recobrar a consciência, Kratos revela a ele a verdadeira natureza divina dos dois. 

Embora a doença tenha desaparecido junto com a revelação daquele segredo, o garoto se torna cada vez mais arrogante. Modi encontra a dupla mais uma vez, ainda desesperado para acabar com eles e recuperar um mínimo de respeito de Thor. Após ter sido espancado pelo próprio pai por não ter conseguido matar Kratos e ter deixado seu irmão Magni morrer, torna-se claro que Modi não é mais uma ameaça. Claramente desafiando as ordens de Kratos, Atreus esfaqueia Modi e mata definitivamente o deus. 

Vendo que a revelação da sua condição de deus está deixando o filho cada vez mais cruel e arrogante, Kratos percebe que deve ensinar Atreus a ser uma pessoa melhor antes que seja tarde demais. 

Pecados da mãe 

Após reunir os instrumentos para criar um portal para Jötunheim, Kratos, Atreus e Mimir voltam ao pico de Midgard para viajar até o reino dos Gigantes. 

Ao chegar, eles caem na emboscada de Baldur. Em vez de seguir as ordens do pai e pular para dentro do portal que havia acabado de ser aberto, Atreus, em sua arrogância, tenta lutar sozinho contra Baldur. 

Kratos intervém, mas, durante a luta com Baldur, o portal para Jötunheim é destruído. Baldur deixa Atreus incapacitado e o captura quando o garoto tenta atacá-lo sozinho outra vez, e então foge com ele em direção ao Lago dos Nove. Kratos vai atrás, e, em determinado momento, a batalha chega até a sala de viagem entre reinos, onde Baldur tenta levá-los até Asgard. No último instante, Kratos desvia a Bifröst para outro reino: Helheim. 

No reino dos mortos, eles se deparam com espectros não apenas do passado de Kratos, mas também de Baldur. Enquanto pai e filho superam as provas desse reino gélido, eles descobrem que a fonte da invulnerabilidade de Baldur era um feitiço lançado por sua mãe.

No momento em que ele nasceu, Freya soube que o filho estava fadado a ser assassinado. Para impedir que qualquer mal se abatesse sobre Baldur, ela lançou um feitiço para protegê-lo de todas as ameaças mágicas e físicas. Apesar do grande domínio de Freya naquelas artes, a magia Vanir é especialmente volúvel e difícil de controlar. O feitiço tinha uma única fraqueza que ela não pôde contornar: Baldur não seria imune a visco. 

Ao passo que Baldur crescia, os efeitos do feitiço foram se tornando evidentes. Embora o deus fosse invulnerável a tudo, isso também o deixou completamente insensível, incapaz de sentir não apenas dor, como também todos os prazeres da vida. Mesmo com Baldur pedindo a Freya que desfizesse o feitiço, ela se recusou, por medo de a profecia se realizar e o filho morrer. Baldur cresceu, e também cresceram seu ódio e ressentimento contra a mãe por ter negado a ele a capacidade de sentir. 

Após a relação de Baldur com Freya e a verdade sobre a condição dele serem reveladas, Kratos e Atreus conseguem voltar para Midgard, reconciliados e resolvidos entre si depois de tudo que houve desde a morte de Modi até o ataque que sofreram de Baldur. 

A morte de um deus 

Após o portal para Jötunheim ter sido destruído, Mimir pensa em uma última solução que eles podem tentar para chegar ao reino dos Gigantes. Antes de realizar essa tentativa, Kratos e Atreus são atacados novamente por Baldur, que também havia escapado de Helheim, mas Freya intervém desta vez. 

Inflamado pela chegada da mãe, Baldur tenta não apenas matar Kratos e Atreus, mas também busca finalmente sua vingança contra ela. 

Depois de trabalharem juntos ao longo de toda a jornada pelos reinos, pai e filho agora lutam em sincronia. Juntos, eles repelem Baldur, mas Freya mais uma vez domina Kratos para tentar impedir a luta. Quando Baldur se prepara para desferir o golpe final, Atreus protege o pai, colocando-se entre os dois, o que acaba levando o deus Aesir a socar a ponta da flecha de visco que Atreus usava no peito para fechar a alça da aljava. 

Com a ponta da flecha atravessada na mão de Baldur, o feitiço por fim é desfeito, e ele, pela primeira vez na vida, é capaz de sentir tudo: a dor de um ferimento, a neve gelada sob seus pés, o sol batendo no rosto. 

Agora com essas novas perspectivas, Baldur retoma sua investida com um vigor alucinante, desfrutando de todas as sensações que nunca havia sido capaz de experimentar antes. 

Eles lutam outra vez, mas, com suas forças combinadas, Kratos e Atreus por fim conseguem derrotar o agora vulnerável Baldur, que exige que o matem e acabem com sua vida enquanto ele ainda é capaz de sentir. Freya suplica que poupem seu único filho, e Kratos cede ao pedido, conhecendo muito bem a dor que alguém pode sentir por perder um filho. 

Quando Kratos e Atreus se preparam para ir embora, Baldur usa a força que lhe resta para tentar estrangular Freya como retribuição por todos aqueles anos de tormento e incapacidade de sentir. Freya aceita a morte, na esperança de que sua partida conceda à vida do filho algum tipo de paz. 

Ao ver seus próprios erros sangrentos prestes a serem repetidos por Baldur, Kratos o mata para salvar Freya. Incapaz de aceitar a morte dele, Freya toma em seus braços o corpo de Baldur e jura vingança contra Kratos por lhe tirar seu único filho, ainda que fosse para que ela mesma pudesse viver. 

O pico mais alto dos reinos 

Finalmente tendo conseguido viajar até Jötunheim com a ajuda dos olhos de Bifröst de Mimir, Kratos e Atreus chegam até um templo dos Gigantes onde encontram toda a sua jornada representada nas paredes. Os Gigantes haviam previsto o que aconteceria, assim como o que já havia acontecido. 

Eles descobrem que tudo aquilo havia sido deixado para eles por Faye, sendo ela mesma uma Gigante, um segredo que havia ocultado do marido e do filho. Atreus por fim descobre a verdade sobre sua origem: ele não é apenas parte deus e parte mortal, mas também parte Gigante. 

Atreus tinha dois nomes: um que recebeu do pai e outro escolhido pela mãe. O nome que Faye havia legado ao filho era Loki. 

Juntos, Kratos e Atreus espalham as cinzas dali, do pico de Jötunheim, e assim concluem sua missão. 

A queda de Fimbulwinter 

Ao voltarem para casa em Midgard, Mimir adverte que a morte de Baldur significa que o primeiro evento que dizem marcar a chegada do Ragnarök foi concretizado.  

Kratos e Atreus agora se encontram envolvidos em uma profecia que previu o caos total nos Nove Reinos e uma batalha tão colossal a ponto de acarretar a morte de muitos deuses Aesir, incluindo Odin e Thor. 

Pai e filho terão que decidir o caminho a seguir enquanto os ventos gélidos e as nevascas do Fimbulwinter circundam sua casa em Midgard.  

—– 

Descubra o resto da história quando God of War Ragnarök for lançado para PS5 e PS4 em 9 de novembro de 2022.

Para obter as últimas atualizações sobre God of War Ragnarök, siga o Santa Monica Studio no Twitter, Facebook e Instagram..

*A biblioteca de jogos varia ao longo do tempo, região/país e plano. O PS Plus está sujeito à cobrança automática de uma taxa periódica de assinatura até que ela seja cancelada. Termos aplicáveis: play.st/psplus-usageterms.

Os comentários estão fechados.

4 Comentários


    Loading More Comments

    Por favor, informe a sua data de nascimento.