Cory Barlog Fala Sobre a Origem de God of War

2 0
Cory Barlog Fala Sobre a Origem de God of War

O Diretor de Criação fala sobre Kratos, Atreus, e os desafios de ser pai.

God of War está quase aqui! A essa altura, você já viu os vídeos, leu os artigos e vasculhou a mídia social por mensagens. Que tal uma entrevista direto com o diretor?

O veterano da série e diretor de criação Cory Barlog me concedeu uma pequena entrevista para o PlayStation Blog.

PSB: Antes de mais nada, parabéns. Devo dizer, este jogo não é o que eu esperava. Está ouvindo muito essa frase?

Cory Barlog: Sim. E honestamente, era a reação que esperávamos. Nosso objetivo, como desenvolvedores, era de usar nossa imaginação, nosso cérebro um pouco mais. Queríamos poder explorar esse mundo, ver o que mudaria se mudássemos algumas coisas, e como elas acabariam se tornando mudanças maiores.

God of War

PSB: Notei várias pequenas referências. Em todo lugar. Abrir baús… atravessar penhascos… escalar paredes… todas essas coisas, eu associo com a base mecânica de God of War, e ainda as vejo refletidas neste título. Foi uma decisão consciente?

CB: Ah sim. Sou maluco por essas coisas. Há segredos e referências escondidos em todo lugar. E quando falo isso, quero dizer todo lugar mesmo: nas embalagens das cópias físicas, menus, nas telas quando você pressiona o botão de Opções, coisas assim….

É uma das coisas que gosto de ver, depois de um tempo as pessoas falando “Você sabia?” Acho isso incrível. É a parte divertida de se criar games. Existe muita complexidade, mas ela permite esconder coisas que são realmente interessantes, além de coisas bem profundas.

God of War

PSB: Este é um Kratos que ainda não vimos…. [em títulos anteriores] ele era cruel, não simpatizava com nada. Me fale como pegou este personagem que poderia ser um pouco bi-dimensional e nos mostrou um lado dele jamais visto.

CB: É. Honestamente, este foi meu desafio favorito deste jogo. Por mais difícil que seja criar um personagem novo… é mais difícil mostrar um lado novo de um personagem antigo. Mostrar seu crescimento, e mudança.

Acho que é bem difícil. Do ponto de vista dramático, é um ótimo desafio. Ele é parte vilão, parte herói.

Conforme chegamos ao fim dos títulos mais recentes da série, vimos, um pouco tarde demais acho, que não estávamos crescendo. Ao começar este jogo, isso foi bem definido. Eu disse “Quero realmente ver como seria mudar um personagem como este”.

Não precisaria ser uma mudança estratosférica que mudasse tudo completamente. É mais sobre as pequenas coisas que mostram uma dimensionalidade, momentos menores e mais sutis…

Isso também assusta as pessoas. “Kratos? Momentos sutis? Isso é loucura!” Mas é possível. Só é difícil explicar para as pessoas, mas quando você mostra, [elas dizem] “Ah, saquei.”

God of War

PSB: Estamos vendo um Kratos mais sábio, uma mudança poderosa para quem o conhece. Mas também gosto da sensação que talvez Kratos se reconheça um pouco em Atreus, e isso o preocupa. Esta raiva é um elemento bem interessante para mim.

CB: É… honestamente, é um balde de água fria na cara de qualquer pai. Quando você vê as piores partes da sua personalidade em sua criança. Nossa cara, isso me deixa até sem ar.

Quando vejo isso no meu filho… Sou super neurótico, sabe? Algumas vezes tenho uma enorme dificuldade com paciência. Deve ser muito difícil trabalhar comigo… Sou exigente, e bem focado, e muitas vezes fechado.

E vejo isso no meu filho, e me dói o coração. Essas coisas são bem pequenas quando comparadas com quem é Kratos, e quando ele começa a ver as raízes do que arruinou sua vida se manifestando no seu filho. E ele não entende ou sabe como consertar isso! Nenhum de nós sabe. Eu não sei como consertar!

Não é um caminho fácil. Acho que as dificuldades, as falhas constantes, são muito interessantes de se ver, não acha?


Fique ligado no PlayStation.Blog para mais detalhes sobre God of War, chegando ao PS4 em 20 de abril.

Os comentários estão fechados.

2 Comentários

Por favor, informe a sua data de nascimento.