Cinco Coisas que Descobrimos com o Lançamento Japonês do PS Vita

16 0
Cinco Coisas que Descobrimos com o Lançamento Japonês do PS Vita

Como você já deve ter visto pela nossa fotorreportagem, eu estive no lançamento japonês do PlayStation Vita. Mas nem tudo foram jogos e bentô: eu aproveitei a viagem para conversar com vários amigos da indústria. Você vai conferir as entrevistas aos poucos, até o lançamento do PS Vita no Ocidente em fevereiro. Até lá, aqui vão cinco coisas que eu não sabia sobre o PS Vita.

  1. O que vem na caixa
  2. PS Vita Fora da Caixa

    Lembre-se de que este é um modelo japonês e que o conteúdo da versão ocidental pode variar de país para país.

  3. O PS Vita foi projetado pelo engenheiro que criou o primeiro Walkman
  4. Tivemos a oportunidade de falar com o Sr. Takashi Sogabe, da Sony Corporate Design Center, a equipe responsável pelo visual do PlayStation Vita, ao longo de uma fascinante hora. Descobrimos que o Sr. Sogabe tem 27 anos de experiência na empresa, e que projetou o primeiro Walkman.

    Ele revelou que a equipe passou por vários designs, incluindo um com partes deslizantes como o PSPgo e outro dobrável, antes de chegar ao modelo final conversando com os desenvolvedores. Ele também disse que seu plano original era que o exterior fosse inteiramente metálico, mas isso acabou sendo impossível, por causa das antenas necessárias para conexões Wi-Fi e 3G.

    A maior surpresa veio quando ele puxou três unidades protótipo da bolsa (não tive permissão para tirar fotos, mas bem que eu tentei!). Um deles tinha painéis de toque no lugar das alavancas analógicas, e o Sr. Sogabe disse que as alavancas foram escolhidas no final das contas porque eram a opção que oferecia os controles mais precisos.

    A entrevista completa com o Sr. Sogabe será postada em 2012.

  5. O PlayStation Vita foi projetado por desenvolvedores de games, para desenvolvedores de games
  6. Os desenvolvedores têm dito que o PS Vita é uma maravilha para se criar jogos, mas o quanto ele é diferente de outros sistemas por aí? O que o torna um hardware fácil para se trabalhar, a própria arquitetura, o kit de desenvolvimento, a estrutura de suporte ou alguma outra coisa?

    Shuhei Yoshida, o presidente do Worldwide Studios da SCE, esclareceu a questão durante a nossa entrevista.

    Shuhei Yoshida

    “Quando Kaz Hirai assumiu a gestão da SCEI”, explicou Yoshida, “ele trouxe a intenção de integrar totalmente o desenvolvimento de software e hardware. Antes disso, fizemos hardwares brilhantes, sem dúvidas, mas nossa equipe de hardware não tinha um bom entendimento sobre o que os desenvolvedores de jogos precisavam, ou quais funções poderiam ser úteis.”

    “[Com o PS Vita], nós [o Worldwide Studios] estávamos lá desde o começo para expressas nossas opiniões e reações para o que o hardware propunha. Estávamos lá em cada estágio e com cada protótipo, e desenvolvemos builds de jogos para testar e, algumas vezes, refutar cada nova função, para chegar a um sistema excelente.”

  7. O “Portal de boas-vindas” é seu ponto de partida – e, sim, os Troféus estão inclusos

  8. Uma das primeiras coisas que você verá no seu PS Vita é o “Portal de boas-vindas” (assim, em bom Português mesmo, já que o idioma pt-br está disponível desde o lançamento para o PS Vita). Ele foi projetado por membros do Japan Studio que também trabalharam em Hot Shots Golf e, embora seu propósito principal seja introduzir recursos como os controles de toque e as câmeras, ele o faz por meio de minigames que são surpreendentemente profundos.

    Esses minigames incluem Digit Chase, um jogo de toque frontal no qual você deve tocar números em sequência (é mais difícil do que parece); Snap + Slide, que gera quebra-cabeças de arrastar peças a partir das fotos que você tira; e Sound Loop, um sintetizador simples, mas excelente, que permite a você gravar sons usando o microfone embutido e então colocá-los em loop em conjunto com uma variedade de batidas pré-determinadas.

    O “Portal de boas-vindas” ainda tem seus próprios Troféus: um de ouro, um de prata e 11 de bronze. E, usando uma mesma conta da PSN, você pode tanto continuar conquistando seus Troféus do PS3 quanto somar os novos Troféus dos jogos do PS Vita.

  9. Gravity Rush é feito pelo mesmo diretor de Siren: Blood Curse
  10. Ainda não postamos muito sobre Gravity Rush, o jogo de ação e aventura em cel-shading exclusivo do PlayStation Vita, mas isso vai mudar com o ano novo, já que eu pude experimentá-lo e achei-o um dos mais interessantes títulos do portátil. Também pude falar com o diretor do jogo, Keiichiro Toyama, e não apenas descobri que ele trabalhou em Siren: Blood Curse, o título de horror para PS3, mas também que a sua maior inspiração para Gravity Rush são os quadrinhos de Jean Giraud, também conhecido como Moebius. Veja o trailer.






Os comentários estão fechados.

16 Comentários


    Loading More Comments

    Por favor, informe a sua data de nascimento.