Double Dragon: aniversário de 35 anos

0 0
Double Dragon: aniversário de 35 anos

Comemoramos o aniversário da série que redefiniu o gênero dos "beat 'em up" cooperativos com histórias de desenvolvimento.

Meu nome é Takaomi Kaneko, e trabalho na Arc System Works. No passado, trabalhei na série River City e em Double Dragon 4 como produtor, ilustrador etc. Quando a PlayStation me pediu para falar sobre a série no aniversário de 35 anos dela, decidi  incluir histórias que ouvi pessoalmente do criador e depois diretor do jogo em 1988, Yoshihisa Kishimoto, assim como Tomm Hulett, da WayForward.

As origens das mecânicas originais do modo cooperativo

Nos anos 80, a estratégia de negócios para videogames era centrada no setor de arcades, especialmente na venda de máquinas arcade. Desta forma, o número de jogadores de qualquer jogo era determinado antes que o desenvolvimento começasse para que coubesse no tipo de máquina que seria vendida. Sendo assim, a equipe interna de vendas da Techno no Japão, que era bem influente na época, fez uma proposta audaciosa para a equipe de desenvolvimento, pedindo para ser considerada a ideia de criar o jogo para uma máquina com suporte para dois jogadores. O resultado foi o primeiro Double Dragon.

Alguns anos depois e de forma semelhante, a equipe propôs um título que usaria uma máquina com suporte para três jogadores, resultando em Double Dragon 3, lançado em 1990. Pela primeira vez, a história da série foi modificada para incluir um terceiro irmão neste jogo.

Balanceando o jogo para dois jogadores

 Como o jogo foi criado para arcades, não havia plano para balancear o gameplay. Para encorajar todos a jogar com amigos, Double Dragon foi criado para exigir muita habilidade para jogar sozinho, o que era muito difícil. Isso incentivava o jogo cooperativo tornando o desafio superável, além de adicionar mais moedas à máquina.

Jogos cooperativos continuam fazendo sucesso hoje, sejam eles locais ou online, permitindo que jogadores concluam desafios ao convidar amigos para ajudar a superar momentos difíceis.

A decisão de incluir fogo amigo ou não

Fogo amigo era um conceito relativamente novo nos anos 80. Ele tornava o combate mais estratégico, já que jogadores precisavam se comunicar para que não atacassem uns ao outros durante o jogo. No entanto, a inclusão deste sistema em Double Dragon veio depois de observarmos as interações entre jogadores durante testes em locais.

No setor de arcade, testes em locais são uma forma de obter feedback de jogadores. Com isso, a equipe de desenvolvimento pode observar o desempenho do jogo ao levar a máquina para alguns locais e monitorar a reação dos jogadores. Naquele momento, o sistema de fogo amigo já havia sido criado e implementado no jogo. Durante os testes nos EUA para Double Dragon, a equipe percebeu que muitos jogadores não só jogavam cooperativamente, mas também começavam a se atacar. Esta mecânica continuou no jogo até o lançamento.

Hoje em dia, os jogos possuem modos cooperativos e competitivos separados, provavelmente para evitar frustrações com fogo amigo. Mas eu acredito que Double Dragon seja tão adorado por causa do perigo iminente causado pela implementação do fogo amigo. Isso aumentava a emoção, já que um único golpe, acidental ou não, fazia o outro jogador reclamar e até contra-atacar. Foi também a causa de um dos momentos mais inesquecíveis, já que ambos os jogadores se enfrentariam no final de um jogo cooperativo. Como os irmãos Billy e Jimmy podiam se atacar, jogadores criavam suas próprias regras e estratégias de jogo.  

Também é importante mencionar a dificuldade do jogo. A IA e o sistema de combate de Double Dragon foram criados para serem o mais realista possível. Isso, junto com a natureza dos jogos arcade da época, significava que o jogo não ficaria tão fácil, mesmo jogando com alguém.

Tomm Hulett é diretor na WayForward, que produziu diversos jogos cooperativos como River City Girls. Eu perguntei a ele sobre o impacto que Double Dragon teve no gênero de jogos cooperativos.

“No final dos anos 80, a primeira máquina arcade que a gente procurava era a de Double Dragon”, ele lembra. “Obviamente, era um jogo de ação emocionante, com gráficos detalhados e um universo legal. Mas o principal atrativo era poder jogar com um amigo, cooperando para derrotar gangues e resgatar a Marian. Jogando sozinho, Abobo parecia invencível, mas jogar com alguém para derrotar um adversário tão forte era algo que poucos jogos conseguiam realizar na época. Double Dragon também tinha diversas opções, como socos e chutes, ataques no ar, facas, bastões e chicotes que você pegava dos inimigos! Parece simples hoje em dia, mas na época parecia um filme de kung-fu que você podia jogar. Double Dragon não foi o primeiro “beat ’em up”, mas estabeleceu a maioria dos elementos que jogadores esperam do gênero hoje em dia, sendo o modo cooperativo de dois jogadores o principal deles.”

Assim como o Sr. Hulett disse, a maioria dos elementos dos melhores “beat ’em up” de hoje foi implementada em Double Dragon em 1988. Pode-se dizer que foi um jogo digno de ser o primeiro do tipo.

Espero que tenham gostado deste artigo sobre as origens do jogo. Fiquem de olho em mais novidades sobre Double Dragon no futuro.

Double Dragon, Double Dragon II, Double Dragon III, Double Dragon IV, além de Arcade Archives Double Dragon e Double Dragon II estão disponíveis para PlayStation 4.

Participe da Conversa

Adicionar Comentário

Mas não seja mala!

Please be kind, considerate, and constructive.

Deixe uma resposta

Por favor, informe a sua data de nascimento.