(Re)construindo as máquinas impressionantes de Horizon Forbidden West

3 0
(Re)construindo as máquinas impressionantes de Horizon Forbidden West

Guerrilla detalha a letalidade incrementada das feras de metal que habitam as terras pós-apocalípticas (e como sobreviver a elas).

O mundo de Horizon é habitado por máquinas altamente avançadas — robôs com tecnologia de ponta que se tornaram a espécie dominante na Terra. Eles aparecem em todos os tamanhos e formas, baseados em várias formas de vida que existiram pela história, como dinossauros, mamíferos pré-históricos e aves. Impressionantes mas ferozes, eles representam uma séria ameaça ao longo da missão de Aloy.


Alerta de Spoilers: Este artigo contém spoilers sobre Horizon Zero Dawn e seu enredo.


Algumas das máquinas encontradas durante os eventos de Horizon Zero Dawn também estarão presentes na continuação, Horizon Forbidden West. O Vigia, por exemplo: parecidos com pequenos terópodes, essas máquinas frequentemente patrulham grandes rebanhos e buscam ameaças potenciais. Ou o Bocarra: feras letais e crocodilianas que foram criadas para purificar a água e se tornaram selvagens com a Desordem.

O Oeste Proibido também está coalhado de novos perigos… no trailer de jogabilidade de Horizon Forbidden West, Aloy encontra alguns deles, tais como o rápido e ágil Garraveloz e o devastador quase mamute Tremodonte. É claro que haverá muitas outras máquinas para enfrentar, cavalgar ou de quem fugir, então Aloy — e você — terá que se preparar para todas as circunstâncias nessas terras esquecidas.

Feras metálicas impressionantes

O Designer de Máquinas Principal Blake Politeski já está com a Guerrilla desde que as primeiras máquinas foram imaginadas no começo de Horizon Zero Dawn. Ao lado do Chefe de Recursos de Arte Maxim Fleury, as equipes deles (e algumas outras) estão trabalhando em algumas novidades incríveis para a continuação que se aproxima.

“Vamos explorar uma nova área no mundo de Horizon”, começa Blake. “Foi interessante trabalhar em entender que tipos de máquinas viveriam em zonas ecológicas diferentes, e como elas interagiriam umas com as outras, com o ambiente e, é claro, com humanos. As máquinas são supostamente as zeladores deste mundo, então sempre foi interessante considerar como elas desempenham os papéis e o que o jogador pode fazer para tirar proveito desses comportamentos.

“Durante o desenvolvimento de Horizon Zero Dawn, tivemos um monte de ideias — claro que nem tudo entrou no primeiro jogo, mas, agora, com Horizon Forbidden West, tivemos a chance de combinar algumas ideias bacanas que não tinham sido possíveis com conceitos novos e empolgantes!”

Maxim elabora: “A equipe de Blake nos traz um documento de design que descreve a aparência geral da máquina, que tipo de partes (interativas) ela tem, e quais são os ataques que ela faz. Tem alguns desenhos de conceito geral que explicam melhor o documento, mas, a partir daí, o design visual real passa para a equipe de Recursos de Robôs e Armas.

“Os artistas conceituais então criarão um conceito 3D que passa por várias revisões com as equipes de direção de arte, design de jogo, animação e arte técnica, até ficarmos satisfeitos. Criamos, estruturamos e animamos um modelo para ver se tudo vai funcionar como necessário, e em seguida os modeladores na equipe de Recursos de Robôs e Armas assumem o trabalho, adicionando os muitos detalhes. Depois de mais algumas iterações com as várias equipes, o modelo é completamente animado, pintado, texturizado e revisado de novo antes de ser adicionado ao jogo e substituir o modelo temporário. O processo de desenvolvimento de cada máquina é muito demorado!”

A expansão do catálogo de máquinas

Com mais de 25 máquinas diferentes em Horizon Zero Dawn, completar todas não foi um desafio simples. “No primeiro jogo, tivemos que criar a fundação”, explica Blake, “então começamos pela base, definindo os diferentes papeis. O Vigia é como uma câmera de segurança, o Devastador é um guarda, e daí por diante. Depois que as funções básicas foram decididas, serviram de fundação para expandirmos, misturando designs de robôs, habilidades e funcionalidades únicas e, é claro, armas e ataques bacanas.

“Vamos expandir esse catálogo ainda mais com Horizon Forbidden West. Por exemplo, queríamos uma máquina voadora um pouco maior que o Falquino, o que resultou no Heliodo — mas ele ainda precisava de um lugar e uma função no mundo. Estudamos vários répteis voadores e aves primitivas atrás de inspiração, e desenvolvemos o conceito das asas coletando energia solar durante tempo ensolarado. Por sua vez, isso criou uma dinâmica de jogo interessante: os Heliodos ficarão vulneráveis ao coletar energia solar, mas também ficam mais alertas a predadores potenciais quando estão ociosos.

“Comportamentos únicos como esse se tornam a base e são expandidos quando definimos o papel das máquinas no mundo. Sempre quisemos garantir que as máquinas estão conectadas, e que servem a um fim maior; então o ecossistema de máquinas inteiro está harmônico — bem como no mundo real.”

Criar um mundo autêntico sempre foi um foco da Guerrilla, e isso inclui criar máquinas autênticas para vagar pelo mundo de Horizon. “A linguagem de design que foi criada com Horizon Zero Dawn ainda é incrivelmente importante para nós”, explica Maxim. “Ao mesmo tempo, tentamos criar máquinas novas que são diferentes e únicas, para assim expandir o mundo para nossos jogadores. As máquinas em Horizon Forbidden West têm muito mais funcionalidade desta vez, um desafio do ponto de vista do design, mas que esperamos que ofereça ao jogador uma experiência única em cada confronto.”

Novos e perigosos inimigos

Num blog anterior, conversamos sobre as habilidades de Aloy e manobras de combate que ela aprende no Oeste Proibido. Algumas delas serão muito úteis contra máquinas mais fortes, mais rápidas e mais letais.

“Aloy tem muitos tipos diferentes de armas e munição à disposição, e vai precisar de todas elas para derrotar todas as máquinas diferentes!”, afirma Maxim. “Sem revelar demais, posso dizer que toda máquina tem múltiplas formas de ser derrotada. Tentamos deixar isso claro para os jogadores pelo design das máquinas, e adicionamos texturas para mostrar os pontos fracos ou componentes interativos. Você terá que estudar bem cada máquina para desvendar formas diferentes de abordá-la.”

Blake acrescenta: “Muitas máquinas têm várias armas e comportamentos que podem ser usados para criar uma vantagem. Não falamos só de se arrancar um componente para usá-lo, mas algumas máquinas podem ter estados mais passivos nos quais o jogador pode se esgueirar até elas. Por exemplo, se uma máquina estiver escavando recursos no solo, criará muita poeira — Aloy pode se aproveitar da cobertura para chegar mais perto.

“As máquinas em Horizon Forbidden West são mais móveis em quase todas as formas imagináveis — pulando, nadando, escalando superfícies… Por conta disso, Aloy terá que acompanhá-las, então temos novas mecânicas de movimento para ajudá-la. Também estamos dando mais atenção à habilidade de Aloy de examinar e planejar confrontas antes de iniciá-los, além da capacidade dela de escapar se os planos derem errado.”

Ações como escalar ou usar uma Bomba de Fumaça para fugir dão a Aloy uma vantagem durante uma batalha contra máquina, mas as melhorias não se limitam às mecânicas de jogador. As máquinas no Oeste Proibido são mais perigosas, mas o jogador pode entender o comportamento delas e prever seus movimentos com dicas de áudio. Por exemplo, uma máquina terá sons específicos para estado ocioso, alertar as outras e iniciar ataques. Na versão do jogo para PlayStation 5, esses sinais serão ainda mais precisos com 3D Audio, criando uma consciência de situação excelente dentro de um mundo vasto quando combinado com dispositivos compatíveis como fones de ouvido estéreo (analógicos ou USB).

Conheça o Tremodonte

Durante o trailer de jogabilidade de Horizon Forbidden West, Aloy encara um dos maiores inimigos que já vimos até agora: um Tremodonte. Ainda que ele seja uma visão espetacular, também é incrivelmente difícil de derrotar.

“O Tremodonte é baseado num mamute, com uma pitada de referências aos exemplos históricos e cinematográficos dos grandes elefantes de guerra. Ele tem muitos ataques diferentes e o corpo está coberto por várias armas. Além de usar as presas para ataques de curto alcance, também pode empregar diferentes armas elementais. O Tremodonte no trailer é controlado por uma facção rebelde dos Tenakth, mas você também pode encontrá-los nos ermos”, explica Maxim.

“Ele me lembra de uma mistura de elefantes de guerra e uma imensa torre de cerco que usavam para atacar fortalezas medievais: difícil de destruir, lento e com muito poder de fogo”, recorda Blake. “Isso gerou a ideia do Tremodonte, muito blindado mas bem lento, uma força quase imparável. Em Horizon Forbidden West, facções inimigas humanas podem controlar máquinas, então foi natural combinar as duas coisas e criar a nossa versão do “elefante de guerra”, com uma plataforma para humanos atirarem em Aloy.

“Voltando ao ecossistema das máquinas, ele foi criado para manter o equilíbrio na Terra e garantir que os humanos não possam exterminar a vida outra vez. Os Tremodontes foram criados como máquinas de combate — protegem outras máquinas para que possam cumprir as funções para as quais foram desenhadas sem interferência dos humanos.”

Tanto Blake quanto Maxim concordam que o Tremodonte é um dos inimigos mais formidáveis do jogo, e exige muita preparação para derrotar: “Recomendamos o uso de armadilhas, além do Lança-gancho. Por mais que sejam lentos, eles conseguem acelerar o bastante para pisotear Aloy, então prepare-se para se esquivar. Por fim, muito cuidado com a tromba lança-chamas…”

Vire o jogo com uma conversão!

Ainda que quase todas as máquinas estejam loucas para brigar, elas também contribuem imensamente com o mundo de Horizon, ou ajudam Aloy na jornada dela. Pense nos Pescoções, que não são hostis e, na verdade, oferecem clareza e orientação a Aloy quando são convertidos!

“Aloy pode, parecido com o que fazia em Horizon Zero Dawn, converter as máquinas e lutar com elas ao lado delas”, conta Maxim. “Desta vez, também temos mais montarias para explorar e cavalgar — você viu Aloy no Garraveloz no trailer de jogabilidade.”

Blake adiciona: “Algumas máquinas também poderão ajudar Aloy incidentalmente. Se uma máquina estiver procurando recursos que Aloy deseja, ela pode mostrar o caminho até um depósito, se Aloy prestar atenção. Além disso, com a conversão, Aloy agora pode controlar parte do comportamento das máquinas, colocando-as em estados agressivos ou defensivos.”

Uma das coisas que todo mundo na Guerrilla quer muito ver é quais máquinas os jogadores vão gostar mais. É claro, temos as nossos próprios ranques de máquinas no estúdio; a preferida do Maxim é o Tirânico!

“Foi o primeiro conceito de máquina de Horizon Zero Dawn que eu vi, então sempre será a minha querida”, diz ele com um sorriso. “Eu amo o design e a personalidade dele. Em contraste, em Horizon Forbidden West são os Cavadores: maquininhas bacanas que podem sobrecarregar você, se você não tomar cuidado.”

E a favorita do Blake? “A Ave-Tempestade. Foi uma das primeiras que a gente criou, e estávamos tentando entender o que essas máquinas deveriam ser. Quando apresentei ela a um colega, soou com uma águia misturada a um jato de caça; mas também seria elemental com surtos de eletricidade do alto do céu. Ela mergulharia direto contra o jogador como um relâmpago e explodiria ao atingir o solo! Nosso Diretor de Jogo ouviu a conversa, deu meia-volta e disse: “Que maneiro!” Então foi assim que a gente resolveu a Ave-Tempestade!

“E, para mim, a preferida é definitivamente o Tratuga. É uma máquina que eu já estava ruminando na minha cabeça desde o primeiro jogo, e fico empolgado de vê-la no Oeste Proibido. Ela é grande e tem várias habilidades que empolgarão os jogadores — combina inspirações de filmes e vida real, além de coisas esquisitas que inventamos nós mesmos. Estou tão empolgado em ver as reações das pessoas a essa máquina quanto o pessoal está para enfrentá-la!”

Qual é a máquina de Horizon Zero Dawn de que você mais gosta, ou aquela que você mais quer descobrir em Horizon Forbidden West? Conta pra gente nos comentários abaixo deste post.Para mais informações sobre Horizon Forbidden West, visite este link. Voltaremos em breve com outro blog de desenvolvedor!

Participe da Conversa

Adicionar Comentário

Mas não seja mala!

Please be kind, considerate, and constructive.

3 Comentários

  • Eu não poderia estar mais ansioso por esse jogo. Saber um pouquinho mais sobre o cuidado ao criarem cada uma das máquinas é incrível. Eu jogo sempre observando cada detalhe, como aquele mundo funciona sem a minha presença como jogador e esse post me deixou ainda mais animado. O mundo que a Guerrilla criou aqui é muito impressionante. Só me resta agradecer por algo tão incrível.

  • thunder_hawk3000

    Bem ansioso para enfrentar o Tremodonte ✌️

  • Considero essa série uma obra-prima. Ansioso pra jogar o Forbidden West. Quanto as máquinas, as “montarias” são minhas preferidas.

Deixe uma resposta

Por favor, informe a sua data de nascimento.