Diablo II: Resurrected: Criando a experiência para os controles

0 0
Diablo II: Resurrected: Criando a experiência para os controles

Reserve já, para PS4 e PS5.

Após mais de duas décadas, o legado do Dark Wanderer e o fardo demoníaco que ele carrega, ressurgem nas terras da humanidade. A Blizzard Entertainment ressuscita o aclamado RPG de ação que definiu o gênero! Pela primeira vez, os jogadores PlayStation que garantirem a sua reserva de Diablo II: Resurrected poderão vivenciar em primeira mão o épico Diablo II remasterizado, com Acesso Antecipado ao Open Beta, já disponível para PS5 e PS4.

O legado de Diablo II continua na nova plataforma mais de 20 anos após seu lançamento original para PC em 2000. novos jogadores e veteranos poderão vivenciar este capítulo icônico do Eternal Conflict, ajudados pelos recurso extraordinários dos consoles PlayStation e do controle sem fio DualShock.

Trazer o gameplay clássico do teclado e mouse para o controle foi um desafio e tanto. Para falar sobre a abordagem da equipe de Diablo II: Resurrected na hora de adaptar os controles  para o DualShock, pedimos que o Diretor de Design Robert Gallerani nos desse seu insight.


Quando começamos a adaptar os controles do jogo para o controle, dividimos o trabalho em categorias. Cada uma delas eram questões centrais que usamos para nos guiar conforme trouxemos Diablo II: Resurrected para os jogadores de console.

Com um mouse e teclado, o jogador age como um “olho nos céus” dando comandos ao seu personagem clicando na tela. Você quer atacar um monstro com um arco e flecha? Quer andar até um baú para abrí-lo? Talvez abrir uma porta? Com o mouse, o input principal do jogador é um click que determina uma ação ou habilidade. O jogo então guia o personagem até o lugar onde a ação será realizada, encontrando um caminho para você.

Em um controle, entretanto, o jogador age mais diretamente como o avatar. Isto começa a ter repercussões mais sérias, mas para os nossos jogadores, é necessário que no fim, tudo apenas “funcione”.

Diablo II: Resurrected: Criando a experiência para os controles

Assista a icônica introdução, remasterizada em Diablo II: Resurrected

Refinando o Movimento

Em um controle, o movimento é ligado ao stick analógico. Isso quer dizer que o jogador, e não o jogo, diz onde o personagem deve ir. Para conseguir isso, desligamos o pathfinding do jogo. Entretanto, agora os jogadores podem ir para lugares que o jogo normalmente não deixaria, como por exemplo, o jogador pode tentar entrar em uma parede ou colidir com objetos. Isso também torna mais fácil evitar ataques dos inimigos. 

Além de considerar para onde você quer ir, também precisamos levar em conta a velocidade de movimento. DIablo II possui um sistema de stamina. Isso quer dizer que há dois modos de movimento: andar e correr. Quando a sua stamina acaba, você não pode mais correr. Tínhamos que fazer este sistema funcionar em paralelo com as expectativas do jogador para quando você mover o analógico apenas um pouco, você se mova pouco, e quando movê-lo até o fim, você se mova a toda velocidade. Tentamos deixar o stick determinar sozinho a velocidade do jogador, mas assim ficou muito difícil “apenas andar”. Andar aumenta alguns atributos do seu personagem no jogo, então é importante que seja fácil para os jogadores controlarem isso. No fim decidimos em um toggle, preservando a decisão consciente de escolher correr em vez de andar. Isso foi vital na hora de pegar itens do chão, mas mais sobre isso jajá. 

Encontrando os Alvos

A próxima grande diferença de não ter um mouse talvez seja a mais óbvia. Você não possui um cursor, que é como você diz para ojogo onde atacar. Entretanto, com o stick direito do controle, você está sempre vasculhando o campo do jogo em um cone, para encontrar alvos de vários tipos: monstros, itens, objetos para interagir, outros jogadores, seu corpo, etc, e as prioridades variam por classe. Então, por exemplo, um Necromante tenta priorizar corpos mais do que outras classes. Experimentamos mostrar todas as opções para o jogador, mas ficou muita informação ao mesmo tempo. Então acabamos mostrando apenas o alvo primário. Então mesmo sem mostrar que um corpo está na mira, estamos selecionando o corpo mais próximo caso o jogador use uma habilidade que requer um corpo. 

Pegando Itens Facilmente

A única coisa tão importante quanto matar monstros em Diablo II é pegar seus itens depois. O jogador usando mouse e teclado tipicamente pressiona uma tecla para ver o nome dos itens, e depois clica no nome do item que deseja pegar. Para alguns jogadores, segurar um botão no controle pode ser desconfortável, então removemos a necessidade de ter que segurar um botão (embora ainda seja possível). Quando usar um controle, os nomes dos itens são mostrados baseados no tempo e distância do jogador. Isso quer dizer que se um item está próximo, ele sempre estará visível. E quando um item cai no chão, seu nome fica na tela por um tempo.

O próximo desafio foi determinar como o jogador pega o item. Com um controle, faz sentido que o personagem ande até o item. Isso é meio complicado quando um monstro morre e um montão de itens caem no chão, mas o jogador apenas deseja um ou dois deles. Então, no fim, adicionamos a habilidade para o  jogador andar bem devagar e parar entre itens diferentes no chão para poder pegar o item que deseja, tornando a experiência mais acessível nos controles.

Usando as Habilidades

Aqui sabemos que é necessário satisfazer as expectativas dos jogadores. No Diablo II original, um jogador tinha dois botões: o esquerdo e o direito do mouse. Para acessar outras habilidades, os jogadores podem usar atalhos para mapear estes botões. Isso é uma maneira meio limitada de usar habilidades. Com o controle, mudamos para não ser necessário mapear, e sim usar as habilidades diretamente com outros botões. Mostramos as habilidades de maneira parecida com Diablo III, em uma “barra” na parte de baixo da tela. Entretanto, como os jogadores podem ter várias habilidades, deixamos o jogador segurar um botão para ter acesso a até mais 6 habilidades, efetivamente dando 12 botões para usarem habilidades rapidamente. 

Equilibrando o Clássico

Um desafio comum com o controle é que temos bem menos botões do que um teclado, então passamos bastante tempo testando mapeamentos diferentes e garantindo que as habilidades mais essenciais estejam em botões fáceis de alcançar. Baseado no feedback do Technical Alpha (dos jogadores de PC usando controles), achamos que levamos o suporte para controle em uma boa direção, que esperamos atinja as expectativas dos jogadores. Ainda estamos na fase de polimento, mas achamos que encontramos o equilíbrio certo entre o moderno e a sensação das mecânicas clássicas.

–Robert Gallerani, Diretor de Design 


Como Robert diz, recebemos um ótimo feedback dos jogadores de PC que usaram controles durante o Technical Alpha. O insight nos ajudou a moldar, iterar e refinar os controle de maneira confortável para os jogadores, emulando a jornada autêntica de jogar Diablo II. Não vemos a hora de apresentar oportunidades para os jogadores PlayStation mergulharem em Diablo II: Resurrected.

Além de receber acesso antecipado ao Open Beta que começa hoje, dia 13 de agosto, às 14:00h, horário de Brasília, os jogadores que reservarem Diablo II: Resurrected também recebem o transmog Heritage of Arreat para Diablo III (mostrado acima), e quem reservar a Diablo Prime Evil Collection receberá mais itens no jogo, incluindo o cosmético Hatred’s Grasp Wings e o Mephisto Pet.

Reúna seus amigos. O acesso antecipado* terá o multiplayer habilitado, permitindo que até 8 jogadores joguem juntos o Ato I: The Sightless Eye e o Ato II: The Secret of the Vizjerei. Os jogadores poderão escolher 5 das 7 classes de Diablo II: Amazon, Barbarian, Druid, Paladin, e Sorceress; cada uma com builds e itens customizáveis para os jogadores explorarem durante o teste. 

Não pode participar do acesso antecipado? Sem problema. No dia 20 de agosto, às 14:00h, horário de Brasília, começa o fim de semana do Open Beta*. Todos os jogadores da comunidade PlayStation poderão baixar o Diablo II: Resurrected Open Beta para enfrentar os asseclas dos Burning Hells (o conteúdo será o mesmo do acesso antecipado).

Diablo II: Resurrected: Criando a experiência para os controles

Assista a cinemática do Ato 2 remasterizado acima.

Não há melhor época para ser um fã de Diablo. Seja você um novato ou um fã de longa data querendo reviver este clássico eterno, os portões do Inferno estão abertos para você. Estamos felizes em compartilhar Diablo II: Resurrected com você e esperamos que se junte a nós para o acesso antecipado e o Open Beta, antes do lançamento no dia 23 de setembro. Adoraríamos ouvir seu feedback e impressões do gameplay antes do lançamento.

*Uma assinatura PlayStation Plus não é necessária para o acesso antecipado ou para o Open Beta, mas será necessária para acessar as funções multiplayer após o lançamento nos sistemas PlayStation.

Por favor, informe a sua data de nascimento.