PlayStation.Blog BR

Criando um mundo sem Batman: primeiros detalhes sobre Gotham Knights

0 0
Criando um mundo sem Batman: primeiros detalhes sobre Gotham Knights

A WB Games Montreal fala sobre o gameplay e a história de seu novo RPG de mundo aberto de super heróis.

O novo projeto da WB Games Montreal finalmente teve sua estréia no evento DC FanDome, no fim de semana passado. Um RPG de mundo aberto, Gotham Knights é uma nova história inspirada e formada pela franquia Batman. Não é uma continuação do trabalho do estúdio na série Arkham. Em vez disso, mergulha em aspectos não explorados da fantasia de super heróis.  

Após a morte aparente do Batman, a Bat família – Batgirl, Nightwing, Robin e Red Hood –  vão às ruas (e telhados) da cidade icônica da DC para continuar o papel do Dark Knight como seus protetores e enfrentar a onda de crime, além de ameaças novas e conhecidas.

Criando um mundo sem Batman: primeiros detalhes sobre Gotham Knights

Após a revelação do game (um trailer emocionante e depois um vídeo de 8 minutos de gameplay), conversei com o diretor criativo Patrick Redding, para mergulhar na nova visão de Gotham do estúdio.  

1. Quatro heróis, quatro estilos de combate, quatro sistemas de progressão de Xp separados

Uma tragédia sempre afeta aqueles mais próximos com toda força, e é por isso que o estúdio escolheu este quarteto – Barbara Gordon, os antigos Robins, Dick Grayson e Jason Todd, um dos mais novos a vestir a capa, Tim Drake – como foco. O centro da “bat família” carrega o peso de vidas vividas sob a tutela de Bruce Wayne, e heroísmo moldado pela sombra de seu alter-ego.

O outro motivo? Apesar de sua conexão, seus métodos e estilos de luta são bem diferentes um do outro, criando uma mistura potente de estilos de jogo, seja sozinhos ou em grupo.   

Red Hood é um lutador brutal com foco em armas de fogo. As acrobacias de Nightwing criam um estilo de luta mais exagerado, enquanto o Robin atual prefere a furtividade e vários efeitos de status para eliminar seus inimigos. E a Batgirl? “Ela combina uma abordagem super focada de combate corpo-a-corpo com a habilidade de usar seu ambiente com arma através de hacks”, diz Redding. 

Escolha um herói e inicie a sua patrulha noturna, retornado ao Belfrey, a base de operações dos Knights, a qualquer hora para trocar de personagem. Você nunca será forçado a jogar um personagem específico; é possível jogar o jogo completo com apenas um herói se quiser. Mas cada vigilante terá sua árvore de habilidades única e itens para criar, com Xp ganho através de atividades no mundo aberto. 

A idéia, explica Redding, é que o loop central do gameplay se misture com uma das narrativas. “A história não se passa toda em uma noite, é sobre o crescimento a longo prazo do herói”. O jogo permite o jogador crescer muito e completar vários objetivos em um ambiente de mundo aberto que devem proteger, para onde precisam voltar várias vezes. 

“É essa idéia da nova guarda de heróis mais jovens – que não são Bruce Wayne, não são Batman – como abordam o problema de se equipar e treinar, preparar e adaptar para a próxima grande ameaça, o próximo grande vilão que terão de enfrentar?” 

Falando em equipamento, perguntei sobre o visual de cada herói visto no trailer. As cores neon de suas armas: é tudo apenas estética ou não? 

“Que bom que tocou nisso,” diz Redding, “Já que é uma plataforma importante para mostrarmos informações no game.” Ele aponta para o vídeo de gameplay como exemplo. “Alguns dos efeitos visuais comunicam o tipo de dano que você tem equipado em suas armas.” 

“Então é uma maneira para o jogador receber sinais de feedback… que informam o tipo de proteção que possuem, o que estão usando contra inimigos, tanto em ataques à distância quanto de corpo-a-corpo.” 

Gotham Knights

Ao contrário do que diz a mensagem gravada de Bruce, a tecnologia do Belfrey não está tão velha assim. “É literalmente parte do diálogo go jogo,” ri Redding quando pergunto a ele como os heróis vão se virar. “Alfred diz para Barbara: ‘apenas você e Bruce jamais diriam que isto está obsoleto’. Eles brincam com o fato de estarem acostumados à tecnologia mais de ponta o possível.” 

2. Um mundo aberto envolvente, com um ecossistema vivo e em fluxo

Um dos maiores personagens do Bat universo – literalmente – é Gotham em si. Trabalhando com a DC, o visão do mundo aberto da WB Montreal world, com cinco bairros completos, foi curado em suas inspirações, interpretação, e versões usando quadrinhos, filmes e TV. “Há vários locais icônicos, que possuem história,” afirma Redding. 

Também é um mundo que suporta vários elementos juntos, criando um ecossistema vívido e em fluxo. Cidadãos que vão ao trabalho ou ao mercado, que congestionam as ruas ou correm da chuva no caminho de casa. Múltiplas facções de criminosos. A GCPD. E, claro, os vilões clássicos de Batman, que assim como os Knights, estão tendo que se reinventar após a morte de seu nêmesis. Redding está animado para os jogadores verem os resultados. “Terá muita variedade, muita complexidade que continuará a evoluir e se modificar conforme o jogador avançar na história.” 

Os Knights podem explorar o mundo com ganchos ou Batcycle, lutando contra inimigos e gradualmente encontrando pistas e evidência da história maior, o próximo capítulo do grande mistério. E descobrirão uma nova ameaça com raízes na fundação da cidade de Gotham: a Court of Owls. 

Gotham Knights

Os vilões, até os capangas de rua, sobem de nível com seus personagens. A intenção é fazer você pensar sobre todas as lutas. Criminosos de nível baixo podem dar vontade de testar algo mais estiloso. Ao contrário, vilões mais poderosos podem fazer você trocar seus itens ou usar mais furtividade. “Queremos garantir que todo encontro, não importa onde, provoque esse tipo de escolha,” explica Redding. 

3. Vilões reinventados, antigos, novos e anciões 

“Estão presentes nos mais ou menos 350 anos de história de Gotham,” explica Redding da Court. Uma adição recente à mitologia do Morcego, estreou nos quadrinhos em 2011, e é uma sociedade secreta que vem moldando Gotham desde o início. “Como toda a riqueza e corrupção e poder, retorceu a cidade em sua forma atual.”  

O diretor criativo continua a explicar como a longa história da Court e sua inclusão como vilão principal força o estúdio a encarar Gotham como “um local histórico”. A história está em sua arquitetura e fundações, em todo centímetro quadrado da cidade.”  

Assim como a Court é parte integral de Gotham em si, os outros vilões também não operam no vácuo; ameaçam a cidade que você jurou proteger. “Queremos fazer você sentir o trabalho que está investindo em proteger Gotham City,” diz Redding. “Independente se estar lidando com uma gangue na esquina ou com um super vilão como o Mister Freeze.” 

Os crimes dos vilões vão durar várias noites, “uma série de encontros onde o jogador terá que percorrer um longo caminho como detetive para caçar o vilão no próximo grande confronto.” 

Gotham Knights será lançado em 2021 para PS4 e PS5.

Participe da Conversa

Adicionar Comentário

Mas não seja mala!

Por favor, seja gentil, atencioso e construtivo. Para outros tópicos, dirija-se aos nossos Fóruns.

Deixe uma resposta

Por favor, informe a sua data de nascimento.