Destiny

Mar 20

Mar 20

Uma Primeira Olhada em Uncharted: The Lost Legacy

Chloe Frazer e Nadine Ross formam uma dupla improvável na próxima história avulsa. Conversamos com a Naughty Dog sobre como tudo começou.

Sid Shuman's Avatar Postado por Director, SIEA Social Media

Mês passado, tive a sorte de dar uma olhada em uma versão inicial de Uncharted: The Lost Legacy. Embora ainda no início do desenvolvimento, promete muito. Pude ter acesso sem precedente às mentes da desenvolvedora Naughty Dog para ficar sabendo mais sobre a próxima aventura de Uncharted.

Primeiro, o cenário. Ao transferir a ação para o extremo sul da Índia, The Lost Legacy injeta um revigorado senso de cor e personalidade — mais parecido com a sensação pulp do Uncharted original, de certo modo. “Terrenos grandes e belos para percorrer e explorar, e aquele senso de uma surpresa a cada esquina”, me disse o Diretor de Criação Shaun Escayg. “Queríamos trazer mais disso de volta.”

The Lost Legacy é uma história nova que se passa entre 6 e 12 meses após os eventos do Uncharted 4. A ação começa com a busca por uma relíquia valiosa — a Presa de Ganesh — e uma dupla bem improvável.

Os Opostos se Atraem

Chloe Frazer e Nadine Ross são parceiras relutantes que nem sempre concordam, mas que precisam trabalhar juntas para obter a inestimável Presa de um senhor de guerra chamado Asav. “Gosto de tomar decisões conforme vou indo,” diz Chloe a certo ponto da demo da partida. “Eu notei,” responde Nadine.

“Asav, Chloe, e Nadine todos têm motivos diferentes para querer a Presa.” — Josh Scherr, escritor, Uncharted: The Lost Legacy

E porque revisitar a Chloe? Para a Naughty Dog, foi uma decisão fácil. Ela é uma personagem interessante com uma bússola moral mais escura comparada ao Drake. O escritor Josh Scherr diz: “Ambos são caçadores de tesouro. O Drake tem um pouco de complexo de heróis, mas a Chole se preocupa com ela mesma antes de mais nada.” É ela quem inicia a caçada pela Presa.

A Nadine volta à história por motivos diferentes, em parte como conseqûencia de suas ações no Uncharted 4. Com o fim da Shoreline, ela está desempregada e desesperada.

“A Chloe precisaria de alguém com experiência militar,” diz Escayg. “Em todos os Uncharted, a Nadine é provavelmente a personagem mais racional e prática que já criamos,” comenta Scherr. “Ela prefere uma abordagem direta.”

Colocá-las juntas ajuda cada uma a acentuar a outra. “São opostas. A Chloe é espontânea e impulsiva, e a Nadine segue as regras e é estruturada,” explica Escayg. “Isto faz uma boa dupla.”

E pode acreditar que esse relacionamento vai se desenvolver ao longo do jogo. “Ambas estão em posições que não estão acostumadas,” diz o Diretor de Jogo Kurt Margenau. “A Chloe, em termos de liderança. E a Nadine, acostumada a mandar, agora é a subordinada. As duas vão resolvendo pelo caminho.”

Vistas Amplas

Com as personagens e o cenário fora do caminho, era hora de dar uma olhada de perto no jogo em si. Pelo que vi, o gameplay geral de The Lost Legacy vai ser familiar aos veteranos de Uncharted 4. Mas a Naughty Dog está determinada a adicionar mais refinamentos e melhorias baseados em em lições aprendidas durante o longo ciclo de criação de Uncharted 4.

Começando com o design de fases. Em uma parte crítica do jogo, a equipe quis providenciar um ambiente maior, que dá aos jogadores mais maneiras de explorar no seu próprio ritmo — “a maior [area] de todas num jogo da série Uncharted,” disse Margenau.

Enquanto desenvolvia o Uncharted 4, a Naughty Dog tinha a esperança de fazer algumas locações grandes como Madagascar ainda maiores, me explicou o Diretor de Arte Tate Mosesian. Mas tivemos que fazer algumas concessões para manter a agenda de desenvolvimento do jogo. Não no caso de The Lost Legacy, onde o jogo vai se beneficiar de um processo de produção atualizado que conta com cinco equipes trabalhando em uma locação ao mesmo tempo.

“Ele passa uma sensação de maior, mais orgânico, com mais escolhas para o jogador.” — Kurt Margenau, diretor do jogo, Uncharted: The Lost Legacy

Em The Lost Legacy, isso se traduz em uma fase espalhada com desafios para atravessá-la, puzzles ambientes, tiroteios e mais.

Também está cheio de segredos, com novos tesouros escondidos que vão recompensar jogadores persistentes que tentarem atravessar tudo que verem.

Também temos muita variedade de ambientes, em parte graças à diversidade natural que podemos ver a região dos Gates Ocidentais no sul da Índia. Você vai explorar selvas ricas, montanhas altas e templos antigos, além do ambiente urbano devastado pela guerra visto nos vídeos do PSX 2016.

Ossos do Ofício

Também temos novos equipamentos de combate para dominar. Uma pistola com silenciador (a primeira arma de furtividade letal na história de Uncharted!) dará novas nuances táticas à jogabilidade de furtividade em The Lost Legacy e aumentar suas opções de combate.

Enquanto isso, o C4 se mostrou tão popular entre a comunidade multiplayer leal de Uncharted 4 que a Naughty Dog não pode resistir e o colocou em The Lost Legacy. Porque não?

Também parece que temos uma gama maior de opções disponíveis para encontros de combate. “Existem cenários de combate inteiros que você pode pular, dar a volta ou tentar resolver do jeito que quiser,” explica Margenau. “Ele passa uma sensação de maior, mais orgânico, com mais escolhas para o jogador.”

Outra nova mecânica, destrancar, foi vista no trailer de lançamento do jogo na PlayStation Experience 2016. Embora os detalhes de como ela vai funcionar exatamente ainda estão sendo discutidos, a equipe estava tão determinada a conseguir passar a sensação física do ato no jogo que chegaram a comprar um kit de destrancar para poderem treinar. Isso é que é dedicação!

Uma coisa que não vai mudar com certeza, entretanto, é a abordagem clássica da Naughty Dog às cenas cinematográficas de ação — alguns dos momentos mais memoráveis de qualquer jogo. “Obviamente as amamos,” disse Margenau, falando também que The Lost Legacy terá algumas que fazem “coisas que nunca fizemos antes.” Desculpa galera — não consegui tirar mais detalhes sobre isso dele.

Pegando um Ladrão

É bom notar que The Lost Legacy, que será lançado este ano ainda como um jogo avulso, será uma experiência mais longa que The Last of Us: Left Behind, porém mais curta que Uncharted 4.

E quanto aos fãs esperando uma aparição de Nathan Drake em The Lost Legacy? “Brincamos com algumas idéias para incluir o Nate como personagem secundário,” explica Scherr. “Mas tudo que fazíamos parecia supérfluo já que amarramos tudo certinho em Uncharted 4.” Margenau foi até mais direto. “Não vamos nem tocar em Nathan Drake neste jogo, nem um pouco”. Então, uh, melhor não segurar o fôlego.

“Até dá pra imaginar o Drake sentado no sofá jogando Crash Bandicoot enquanto a Chloe e a Nadine estão por aí aprontando,” brincou Scherr. “É, o Crash Bandicoot remasterizado,” disse Margenau.

Os comentários estão encerrados. Os comentários são desabilitados para posts com mais de 30 dias.

PlayStation Blog