The Last of Us – Os Bastidores de Uma Cena

2 0
The Last of Us – Os Bastidores de Uma Cena

Ontem, durante a gamescom na Alemanha, Troy Baker, a voz de Joel, e Ashley Johnson, a voz de Ellie, subiu ao palco com o moderador Arne Meyer, Estrategista de Comunidade da Naughty Dog, para falar sobre o processo cinematográfico, as atuações e as ideias criativas em The Last of Us. Antes da apresentação começar, o nosso diretor de jogo deu algumas palavras sobre o projeto.

The Last of Us – Os Bastidores de Uma Cena

Para tornar tudo o que Bruce e Neil discutiram no vídeo uma realidade, as atuações de Troy, Ashley e cada ator envolvido tem um papel muito crucial. A captura de atuação é um processo longo e demorado. Envolve roupas de mocap apertadas, diversas horas, muita escrita e, às vezes, um pouco de improviso. Chamamos a atenção para estas atuações – um dos primeiros passos para o processo cinematográfico do jogo – durante a nosso debate na San Diego Comic Con. Na gamescom, fomos fundo no processo, e agora você pode assistir ao mocap da cena que apresentou Bill, interpretado por W. Earl Brown.

The Last of Us – Os Bastidores de Uma Cena

Câmeras de alta tecnologia gravam os marcadores de rastreamento nas roupas de mocap para capturar estas atuações. Os dados de mocap cru são entregues a nossa equipe, limpos, e então acontece o próximo passo no processo cinematográfico.

The Last of Us – Os Bastidores de Uma Cena

Seis passos em coisa de um minuto. Fazer cenas de jogos parece fácil, certo? O que você viu foi um grande resumo de mais de dois anos de planejamento, atuações, roteirização, animação, iluminação e arte. Então aplicamos alguns ajustes, melhorias e afinamentos. E então, coisas que nunca passam para fora da porta.

The Last of Us – Os Bastidores de Uma Cena

E foi onde finalizamos. Mais uma cena pronta. Mas ainda há muito trabalho a ser feito, e mal podemos esperar para compartilhá-los com você.

Os comentários estão fechados.

2 Comentários

  • ovelhachata

    Para o governo Paulista games não são cultura, nem desenvolvimento e muito menos gerador de divisas.

  • Lucas_Soares94

    O governo paulista sabe q os games não são “jogos de azar” amigo mas eles não abrem mãos dos impostos não soh em games mas em tudo, afinal alguém tem q bancar a nobreza ‘-‘ isso me faz lembrar o absolutismo francês e me pergunto se algum dia teremos uma revolução como a deles

Por favor, informe a sua data de nascimento.