Entrevista de Starhawk: Velho Oeste Espacial

1 0
Entrevista de Starhawk: Velho Oeste Espacial

Embora legiões de guerreiros da PSN sedentos por sangue tenham se juntado no multiplayer beta de Starhawk, a campanha single-player continua escondida nas sombras. Até agora: durante um evento em Nova Iorque esta semana, Lightbox Interactive finalmente deu uma amostra do que estava escondido, mostrando uma série de batalhas frenéticas e sequências cinematográficas da história da campanha. Como Emmett Graves, um mercenário interestelar infectado por um recurso mutagênico chamado “energia Rift”, você vai usar o intenso sistema Build and Battle (Construir e Batalhar) para construir torres de ataque, muralhas, veículos e estruturas de outros planetas. Seu objetivo é proteger a fronteira da cidade de White Sands da invasão dos Outcasts — incluindo seu irmão fora da lei, possuído pela energia Rift, Logan.

Fora da LeiEmmett

A história com toque de velho oeste de Starhawk é contada com cenas ricamente ilustradas que alternam entre o jogo e se conectam perfeitamente às sequências de ação, melhor que isso, cortando o tempo de carregamento entre as missões. Eu experimentei alguns bons minutos da campanha e fiquei maravilhado ao descobrir um jogo de tiro em mundo aberto rápido e estratégico que garante uma vasta gama de opções ao jogador. Em uma missão, o parceiro de Emmett, Cutter, me levou a dirigir um tanque próximo para eliminar diversos morteiros que ameaçavam a cidade de White Sand. Eu fui contra, preferindo avançar a pé e confiar no meu lança míssil a laser para atacar os veículos inimigos à distância. Foi uma decisão tola, mas gostei de ter a escolha.

Eu queria poder detalhar tudo o que vi (dica: eu vi MUITA coisa), mas a Lightbox Interactive é compreensivelmente sigilosa com spoilers. É suficiente dizer que a campanha parece ser uma experiência substancial, servindo mais do que um pilar de aquecimento para os modos multiplayers. Eu conversei com o presidente da Lightbox Interactive, Dylan Jobe, para bisbilhotar mais detalhes sobre o lançamento do jogo em oito de maio. E isto é apenas o começo.

PlayStation.Blog: A Lightbox Interactive tem sido bem sigilosa sobre a campanha single-player de Starhawk. Qual a premissa da aventura de Emmett Grave?
Dylan Jobe, Presidente, Lightbox Interactive: Não começa como uma aventura — começa como um trabalho. Emmett é um minerador de energia Rift, e é bom no que faz. Ele e Cutter, seu parceiro, vão à fronteira, encontram diversas fontes de energia sendo atacadas pelos Outcast, e as protege.

Mas acontece que o último trabalho de Emmett é em Dust, sua cidade natal de White Sands. E por Emmett e seu irmão Logan terem sido separados há muitos anos — Logan com os Outcast, Emmett com os humanos — Emmett aceita o trabalho para levar justiça a seu irmão fora da lei. Todo o jogo single-player gira em torno da briga de Emmett e seu irmão para proteger sua cidade natal.

PSB: O tema de velho oeste parece ir além da direção de arte – eles são mais profundos do que eu esperava.
DJ: O tema de velho oeste influenciou não apenas as coisas que você esperava, como os visuais. Influenciou as composições musicais, a estrutura da narrativa, a imensidão da fronteira, a expansão e as construções, o Gold Rush… até mesmo a íntima história entre Emmett e seu irmão Logan. Os temas de velho oeste infiltrou em todos os aspectos do jogo.

PSB: As batalhas na campanha de Starhawk dá uma quantidade incomum de liberdade ao jogador. Os jogos de tiro de tornaram muito básicos?
DJ: Primeiramente, queremos que este jogo seja único. O gênero de tiro está lotado de ótimos jogos, eles também podem conter uma reviravolta. A maioria dos jogos de tiro traz uma experiência linear: evento, evento, evento, sequência roteirizada, evento, evento, evento, sequência roteirizada. Com Starhawk, queremos dar um desafio de combate aos jogadores: Isso é o que vai te atacar, quando vai te atacar e aqui estão as ferramentas que você pode usar. Agora jogue como quiser!

É mais fácil falar do que fazer, pois apresenta muitos bugs durante o processo de criação, mas é empolgante pois os jogadores vão tropeçar em muitas estratégias para o sucesso. Você ama voar com os Hawks e quer usá-los em todos os cenários possíveis? Beleza! Faça isso!

Starhawk para PS3

PSB: O modo co-op parece usar a filosofia de mundo aberto o máximo que puder. Como isso funciona?
DJ: O co-op coloca você com mais três jogadores, e estão protegendo uma propriedade de Rift. O sistema torna os encontros aleatórios – uma onda de snipers ou ondas de veículos diferentes – e força você a adaptar o uso das ferramentas Build and Battle. O co-op é uma maneira divertidíssima de jogar, e também te ajuda a proteger sua base no multiplayer, com os encontros aleatórios que ajudam a simular a aleatoriedade dos humanos que você vai enfrentar online.

PSB: Quando eu testei a campanha, me encontrei enfrentando inimigos que nunca vi no modo multiplayer – estamos falando de coisas completamente diferentes por aqui. Eu sei que você está mantendo o bico-fechado, mas pode nos falar sobre isso?
DJ: Em alguns aspectos, eles são parecidos com os tipos que você encontra em um jogo de estratégia em tempo real. Você vai encontrar personagens aos montes, grandes brutos… todos eles tem texturas diferentes e impactam o combate de maneiras diferentes. Eu não posso me aprofundar nos detalhes, mas eu acho que será uma surpresa prazerosa com o single-player, pois vai encontrar muitos inimigos, encontros que não terá no multiplayer.

A campanha não é baseada nos mapas multiplayer. É uma experiência single-player guiada por narrativa, com mapas e encontros únicos no caminho do jogo. Eles variam entre pequenas batalhas no deserto, grandes batalhas espaciais com grandes naves para proteger um enorme trem espacial e o confronto épico com Logan — é bem diversificado. Um jornalista que você mais cedo me assistiu jogando duas missões, e disse que o jogo vale por dois. Há muitos brinquedos nesta caixa de ferramentas, e você vai fazer vale o seu dinheiro.

PSB: A energia Rift é o centro do universo do jogo, é algo como “ouro azul”. Mas o que é exatamente?
DJ: Há dicas sobre isso, mas não queremos usar midichlorians [risos]. Você vai saber mais sobre as origens da energia Rift se for um bom observador. Mas a parte importante é que Emmett é uma bomba relógio. Ele foi infectado pela energia Rift e está usando um regulador para ganhar tempo. Cutter, seu parceiro, está tentando fazer com que ele não vire um Outcast, mas Emmett sabe que um dia isso vai acontecer. Ele é parte humano, parte Outcast… então ele é como um herói obscuro, um componente clássico do velho oeste.

Os comentários estão fechados.

1 Comentário

  • Eu joguei o multiplayer beta de Starhawk desde o tempo que era privado (tive a sorte de pegar um código de um cara no Google+) e a impressão que ficou é que este será um dos melhores jogos de PS3. A combinação de elementos de estratégia em tempo real, tiro em terceira pessoa e combate com veículos de terra e ar realmente transforma esse jogo em algo com características únicas e diversifica bastante a jogabilidade, diferente de tudo que eu já joguei! Fico muito feliz em saber que eles estão tendo todo esse cuidado com o modo single-player também, pois, pessoalmente, as campanhas dos jogos sempre me interessam mais que modos multiplayer. Só espero que a Sony promova melhor esse jogo e faça uma campanha de marketing semelhante à que fez para Uncharted 3 porque, pelo que eu pude ver constatar, Starhawk merece mais atenção do que está tendo até agora. Eu pretendo comprar a edição limitada da Gamestop, já que não foi anunciado nada de especial pro lançamento deste jogo no Brasil.

Por favor, informe a sua data de nascimento.