Testamos Need for Speed: The Run

5 0
Testamos Need for Speed: The Run

Need for Speed: The Run representa a mais audaciosa mudança numa série conhecida pelos seus carros velozes e por suas mecânicas de pilotagem exigentes. Pela primeira vez na história de Need for Speed, você não é um mero piloto sem nome nem rosto – você joga com um cara de verdade, chamado Jack. E Jack está passando por maus bocados. “Ele está marcado”, explicou o gerente de produto Darin Perfonic em uma sessão de testes na semana passada. “Ele tem sérios problemas com uns caras que o querem morto.”

Esses “caras” são, na verdade, criminosos – membros da Máfia. E a única esperança de Jack está em The Run, uma corrida de quase 5 mil quilômetros que cruza os EUA de São Francisco a Nova York. Com um belo prêmio de US$ 25 milhões para o primeiro colocado, The Run é a chance que Jack tem de se salvar antes que os mafiosos o encontrem e saldem seu débito… permanentemente. “Imagine uma superprodução de Michael Bay com corridas, e imagine que você pode jogá-la”, ilustra Perfonic. “Esse é o nosso conceito. Queremos criar uma superprodução hollywoodiana.”

Need for Speed: The Run (Run for the Hills)Need for Speed: The Run (Run for the Hills)

No comando de The Run, fiquei impressionado com os gráficos brilhantes e com a incrível distância de renderização. Os visuais são baseados no Frostbite Engine, o motor cuja tecnologia de renderização dá vida à série Battlefield. “O Frostbite permite que criemos iterações muito rapidamente, e também que façamos ambientes bastante detalhados”, explicou Perfonic. “Ele também tem possibilitado criarmos o maior Need for Speed de todos os tempos – são mais de 300 quilômetros de pistas.”

O tema de atravessar o país e a nova tecnologia dão a The Run uma bem-vinda variação de paisagens. As pistas variam da cinzenta ambientação urbana de São Francisco e Chicago até os vales verdejantes de Yosemite, as montanhas marrons do Colorado e as vastas planícies do Meio Oeste americano. Você não estará apenas lutando com outros pilotos e com criminosos, mas também contra a natureza. Em The Run, ameaças naturais como tempestades de areia e nevascas são tão perigosas quanto um competidor agressivo.

Need for Speed: The Run (Run for the Hills)

Nesta corrida de uma ponta à outra dos EUA, você começará como o último colocado, e deve lentamente ganhar posições pelos grupos de carros até chegar ao desafio final em Nova York. Em cada estado do país você tem o desafio de cumprir uma certa meta. “Se você não chegar na posição mínima, você está fora da competição”, Perfonic explica o drama. “Isto é algo que nunca tivemos na série, e que ajuda a manter sua vontade de avançar no jogo.” Quando você ganha corridas e completa desafios, ganha pontos de XP que podem ser usados para acessar novos carros, novos desafios e outras recompensas.

The Run inclui ainda outro elemento inédito na famosa série Need for Speed: a possibilidade de sair do carro. “Você não pode simplesmente sair do carro quando bem entender”, esclarece Perfonic, “é a narrativa que irá forçá-lo a isso em certas situações, como condição para avançar na história”. Essas sequências a pé ajudam a contextualizar a trama, o porquê de você trocar de carros no meio das corridas, por exemplo – especialmente quando a Máfia o alcança em Chicago. “Você vai pilotar muitos carros. É o enredo que determina a máquina que você vai controlar”, conclui Perfonic.

O trecho que pude experimentar era ambientado bem no início do jogo, nos arredores de Las Vegas, numa pista de deserto poeirento repleta de atalhos por caminhos de terra. Pelo que pude jogar, achei a física de pilotagem uma mistura de NFS: Hot Pursuit com NFS: Shift, com a acessibilidade estilo arcade do primeiro e os veículos mais pesados do segundo.

Depois que minha sessão de testes acabou, fiquei com muitas outras dúvidas. Será que as corridas vão incluir outros tipos de veículos, como motos? “Espere e verá!”, insinuou Perfonic. O gerente de produto confirmou, no entanto, que o aspecto multiplayer será muito importante, e que o recurso Autolog de NFS: Hot Pursuit, com integração com mídia social, vai voltar em The Run.

Os comentários estão fechados.

5 Comentários

  • Promete, ein?!

  • RAFAELZINHOrfl

    tomara q seja bom.
    estou com saudades nfs antigo como nfs mw ou nfs carbon.
    entao estou confiante q esse seja bom.

  • JuniorScaranelo

    até hoje nunca joguei um jogo dessa série. fiquei só com o gran turismo mesmo. mas esse parece ser muito bom.

  • Achei q eles aproveitaram muito do Hot Persuit, nem parece q e um game novo, mas sim uma expanção do antecessor…

  • need for speed ta ficando faio nao da mais pra zua con o carro eles ja vem prontos.

Por favor, informe a sua data de nascimento.