Hood: Outlaws & Legends – trazendo a lenda à vida

2 0
Hood: Outlaws & Legends – trazendo a lenda à vida

As lendas ganham vida no dia 10 de maio de 2021 - garanta já na pré-venda!

Robin Hood nunca foi apenas uma pessoa. Ao passar dos anos, várias pessoas reais e fictícias contribuíram para a lenda. E como qualquer boa história, ela foi adaptada e embelezada para diferentes audiências e até motivações políticas.   

Queremos voltar ao básico. Se você olhar para as primeiras histórias, Robin Hood era um fora da lei cruel, que roubava e matava a sangue frio e sem remorso. Só foi bem mais tarde que ele se tornou mais altruísta, heróico e gentrificado.  

Isso nos levou a perguntar, “como seria se a HBO fizesse um Robin Hood no estilo de Game of Thrones?” Só que mais “Battle of the Bastards” e com menos dragões…

Em Hood: Outlaws and Legends, queremos adaptar (de novo) e reimaginar a lenda para uma nova audiência e nossos propósitos. O fato de ter havido várias histórias de origem sem um Robin Hood definitivo foi a base perfeita para um jogo multiplayer. 

Hood não é apenas uma pessoa. É uma ideia. Um símbolo do povo. É um manto que é passado de pessoa em pessoa para manter o mito — assim como o Black Panther ou o Pirata Roberts.

Então nos perguntamos, e se o Hood atual morresse sem um sucessor nítido? Quem assumiria a posição? Qualquer um que tenha assistido a série dos anos 80, Robin of Sherwood, saberia que os dois melhores candidatos ao título de Hood são Robin de Loxley e Robin de Huntingdon (por falar nisso, Michael Praed nunca deveria ter saído para trabalhar em Dynasty, mas isso é uma outra história).

Então tínhamos a nossa base, duas gangues de foras-da-lei, em uma batalha para tentar completar o roubo dos roubos. Ambas tentando ser aclamadas pelo povo como o verdadeiro “Hood.”

Os Foras-da-lei

Em um mundo onde o povo é oprimido, os foras-da-lei se tornam heróis. Mas os nossos não são completamente altruístas. Cada um é um pária da sociedade, um destituído, um ignorado ou um renegado. São como lobos, e como lobos, podem ser mortos se forem vistos. Cada um possui seu próprio motivo para buscar vingança do estado. Eles roubam dos ricos para aterrorizar os ricos.

Quando pensamos nos outros personagens, assim como Hood, decidimos usar o que aprendemos com a lenda e os alteramos para encaixar no nosso game. 

Precisávamos de uma equipe diversa cujas habilidades pudessem ser combinadas para um grande roubo. 

Hood é claro um arqueiro, e habilidoso no combate à distância. Ele pode se esconder nas sombras ou em uma janela no alto e apoiar a equipe de longe. Ele pode marcar oponentes e eliminar ameaças com seu arco. Sua habilidade de flechas explosivas pode ser devastadora em grupos, e pode até derrubar o temido Xerife – pelo menos por um tempo.

Little John se tornou John Nailer, um Lutador, especialista em combate corpo-a-corpo e tanque. Seu martelo mortal pode matar com apenas um golpe, enquanto sua habilidade Wrath o transforma em um poderoso e imbatível combatente com vigor interminável. Se sua equipe está presa e tudo parece perdido, ele é o único fora-da-lei forte o bastante para levantar as grades do portão e abrir uma rota de fuga para o grupo.  

Friar Tuck se tornou Tooke – um ex inquisidor do Estado. Seu mangual o torna forte em combate até média distância, e suas habilidades místicas podem curar e ajudar a equipe, revelando a posição de inimigos próximos. 

Maid Marion deixou de ser uma dama em apuros e se tornou uma guerreira e líder, como algumas lendas já a mostravam. Sua besta e habildiades de assassinato podem aterrorizar o inimigo, e suas granadas de fumaça e invisibilidade são uma vantagem para qualquer roubo.

O Estado e o Mundo 

Evitamos um período histórico específico ou de tentar recriar locais reais de propósito. Sem nos amarrar a um local ou período da história nos deixou livres para fazer criar a jogabilidade que quisemos.   

O nosso inimigo é um poder desconhecido, chamado apenas de O Estado, é representado pelos guardas da IA e pelo Xerife que enfrentam ambas as equipes durante os roubos. Não se trata de nenhuma facção histórica, e sim de uma representação de poder e autoridade corrompidos, se impondo ao povo. As construções do Estado são projeções exageradas d seu poder – muito maiores do que seriam se existissem de verdade – mas muito mais divertidas.  

De fato, “seguir a diversão” é o mantra que adotamos durante o desenvolvimento. Para as armas e armaduras improvisamos – roubamos idéias de várias outras culturas e períodos históricos, ou apenas inventamos coisas legais, como a besta tripla de Marianne.  

Com os mapas e biomas, de novo usamos o que achamos que seria mais divertido e melhor para o gameplay. Temos imensas cidadelas e montanhas cobertas de neve que seriam difíceis de encontrar na Inglaterra. Entretanto temos várias referências às lendas para quem estiver prestando atenção, como por exemplo Barnsdale Outpost e Fountaindale. 

Conclusão

Com Hood, queremos criar uma reimaginação da lenda tradicional que seja brutal e misteriosa, onde os mitos antigos e a superstição entram em colisão com o poder e a corrupção. Também queremos mudar o gênero dos games multiplayer.

De alguma forma, como nunca explicamos quem é Hood, nem damos uma história de origem a ele, você pode dizer que a nossa representação da lenda é uma das mais honestas. Afinal, não estamos tentando contar uma história baseada em fatos históricos, nem em uma história de ficção. É a história de uma lenda.   

Hood: Outlaws & Legends – trazendo a lenda à vida

Hood: Outlaws & Legends chega para PlayStation 5 e PlayStation 4 no dia 10 de maio de 2021. Quem garantir na pré-venda receberá bônus exclusivos e acesso antecipado ao jogo no dia 7 de maio, três dias antes do lançamento oficial.

Os comentários estão fechados.

2 Comentários

  • Liguei para o suporte do playstation para me enviarem o adaptador para funcionar o PsVR no PS5 conforme foi informado nos sites e blogs da playstation que funcionaria. Fiquei mais de 30 minutos para ser atendido e quando me pediram o modelo do PSVR, informaram que não tem compatibilidade com ele e que não teria como enviar o adaptador. E ai? O que eu faço com o PS VR? Jogo fora? Absurdo e deviam avisar que alguns modelos não iriam funcionar e a atendente até educada só fica pedindo desculpas e fala que esse é o protocolo. Tipo você se lascou e problema é seu. Não vou deixar assim. Modelo do PSVR – CUH – ZVR1. Se vocês tiverem esse psvr e quererem utilizar no ps5 não comprem.

    • GabeBabiski

      Amigo, vá pesquisar um adaptador de baixo custo que essas lojas dos submercados vendem por aí…Já foste numa banquinha, numa loja online ou algo do tipo?

Por favor, informe a sua data de nascimento.