WE ARE DOOMED: Criando para Relaxar & Desafiar

0 0
WE ARE DOOMED: Criando para Relaxar & Desafiar

Olá! Eu sou Mo, Fundador do Vertex Pop, um pequeno estúdio independente de jogos de videogame que fica em Toronto, no Canadá. E por pequeno eu quero dizer que sou só eu.

Da última vez que eu estive por aqui eu apresentei a vocês o WE ARE DOOMED. Estou empolgado de poder dizer que o jogo está disponível agora pro PS4 na América do Norte e amanhã na Europa.

We Are Doomed

Pra recapitular: WE ARE DOOMED é um jogo de tiro twin-stick (tipo de jogo em que um controle direcional controla o movimento do personagem enquanto o outro controla a mira) no qual você atira em vilões poligonais com um raio laser absurdamente poderoso. Esse raio pode ser carregado até virar um SUPER-RAIO que cruza a tela inteira fritando tudo o que toca. O jogo tem uma estética lo-fi únicam, com formas fortes, geometria piscante e cores neon.

Dessa vez, eu gostaria de falar sobre os modos do jogo e mostrar um pouco dos bastidores do desenvolvimento de cada um deles.

O modo Waves (“Ondas”) é uma série de 30 ondas que começam bem na boa e rapidamente se transformam em ação superintensa. Como é o modo primário de jogo, é a primeira coisa que os jogadores verão, então ele precisa ir direto ao ponto e causar uma boa primeira impressão. Isso quer dizer que não há cutscenes e nem tutorial maçante, mas sim toneladas de ação com raio laser.

Esse modo Waves também introduz todos os vilões pelo caminho. Conforme você progride, diferentes combinações deles vão mantendo a coisa sempre nova até o final. Embora o fluxo geral de cada onda seja fixo, tem um aspecto de randomização que vai te manter sempre ligado.

Eu quero que os jogadores possam relaxar e curtir o jogo sem ficar muito estressados. Há certa familiaridade em cada onda, o que ajuda a manter o ritmo e dar uma “viajada”. Também tem checkpoints a cada 10 ondas.

Pros caçadores de troféus e aqueles que curtem buscar muitos pontos, tenha em mente que cada checkpoint faz você começar com zero pontos. Então, pra se ranquear bem você vai ter que ir da onda 1 à 30 de uma vez. Claro, tem um troféu pra isso. E outro pra completar o jogo sem perder uma vida. Como eu disse, superintenso!

O modo Endless (“Infinito”) te faz enfrentar uma barreira interminável de vilões e faz a clássica pergunta: por quantas fases você consegue sobreviver? E foi aqui que eu me soltei. Você vai precisar de tudo o que aprendeu no modo Waves pra se dar bem nesse.

We Are DoomedWe Are Doomed

Você pode achar que fazer um modo extremamente difícil é uma coisa fácil, tipo “aumenta o volume no talo”, pra um desenvolvedor de jogos, mas na verdade é uma grande responsabilidade! Tornar algo difícil significa que a coisa tem que ser justa e bem amarrada. Se eu vou pedir muito dos meus jogadores, eu tenho que ter certeza de que eu também vou me esforçar.

Conforme eu aumentava a dificuldade no modo Endless, eu examinava novamente cada aspecto do jogo pra achar áreas que poderiam ser injustas ou que poderiam ser melhoradas. Eu infinitamente (com o perdão do trocadilho) mexi com o movimento dos jogadores, caixas de impacto, lógica da câmera e inteligência artificial dos inimigos, entre outras coisas.

O resultado é um modo de jogo que é desafiador e justo, e o processo de desenvolvimento dele fez o jogo ainda melhor.

WE ARE DOOMED está disponível hoje (14 de abril) pra PS4 na América do Norte e amanhã (15 de abril) na Europa. Se você quiser relaxar com as cores bonitas, bater o recorde de um amigo ou mesmo chegar ao topo do ranking da PSN, espero que você encontre algo de que goste bastante no WE ARE DOOMED.

Você pode me seguir no Twitter em @mobeenfikree pra toda a diversão dos bastidores, ou no @vertexpop pra atualizações menos frequentes.

Por favor, informe a sua data de nascimento.