PlayStation.Blog
PlayStation All-Stars Battle Royale para PS3 e PS Vita

Uma Jornada Musical por Journey

Austin Wintory's Avatar + Postado por Austin Wintory on jan 05, 2012 // Composer, flOw

Talvez a maior dificuldade em falar sobre o meu trabalho em Journey seja justamente o fato de o jogo se chamar Journey! O conceito da metamorfose, ou o arco emocional, está no cerne de tudo neste jogo, incluindo a sua trilha sonora. Como você deve imaginar, com um título tão sucinto, os trocadilhos são constantes, mesmo que às vezes não intencionais. O vídeo que divulgamos agora dá um gostinho do que estamos preparando e do quão prazeroso tem sido o nosso trabalho.





Uma das inspirações para Journey foi A Jornada do Herói de Joseph Campbell. A concepção instintiva é que algo grande assim necessita de uma música épica em maior escala, ainda que meu instinto me leve à direção oposta. Embora com certeza a trilha tenha seus grandes momentos, eu a descreveria como intimista no geral. A orquestra vista aqui é a Macedonia Radio Symphonic Orchestra, conduzida belissimamente por Oleg Kontradenko na capital macedônica de Skopje.

Eu acompanhei uma fase de mixagem no San Diego Studio da Sony com a equipe musical e Randall Lowe do Santa Monica Studio, onde nos conectamos com a orquestra em tempo real em Skopje. De vez em quando podíamos fazer uma sessão no Skype junto com a equipe de desenvolvimento na thatgamecompany em Los Angeles, a nossa produtora Kellee Santiago que estava em Virginia no dia, a produtora Robin Hunicke e o designer líder Jenova Chen, que estava em Shanghai participando da GDC China! Esta acabou sendo uma maravilhosa sessão do século 21: uma teia de aranha de interconectados ao redor do globo! Em adição à orquestra, eu também tive grande prazer em trabalhar com os grandes solistas, incluindo minha amiga e um talento do violoncelo Tina Guo. O desempenho deles trouxe vitalidade à trilha que, de longe, supera as meras notas nesta página.

Journey para PS3 (PSN)

E ainda sobre como estamos “high-tech”, esta música é totalmente indiferente com a tecnologia. É tudo sobre o significado emocional. Esta é a parte que torna Journey especial. O jogo não tem encheção de linguiça. Eu penso nele como um poema.

Há uma famosa história onde Steven Spielberg, depois de mostrar a Lista de Schindler para seu compositor de longa data, John Williams, perguntou, “o que você acha?”, John Williams respondeu seriamente, “Steven você precisa de um compositor melhor que eu para este filme”, ao que Spielberg respondeu rapidamente “Sim, eu sei, mas todos eles estão mortos!” Isto é basicamente como me senti sobre Journey, especialmente quando fiquei com os pés molhados e comecei a sentir que este não era um jogo comum. Uma vantagem que eu parecia ter foi tempo. Ao final, eu gastei uns três anos nele. Eu era capaz de contornar todos os problemas de inspiração com ua simples graxa de cotovelo, eu espero. De fato, Journey terminou permeando toda a minha produção. Em abril de 2011 eu escrevi um concerto de violoncelo para Tina (chamado “Woven Variations”, com link abaixo) que apresentamos juntos em Los Angeles. A peça não é como uma peça da minha música de Journey, mas mais como uma extrapolação. É uma exploração do material, levado para lugares completamente diferentes. Isto acabou indo além no verão seguinte quando eu conduzi um concerto com o LA Master Chorale, onde criei uma peça única de uma hora (baseada no mesmo arquétipo de “A Jornada do Herói”) juntando vários trabalhos no repertório e usando a música de Journey como cola. Por Journey ainda estar recebendo trabalhos, eu fui, então, pegar as lições aprendidas nestes concertos e aplicá-las na trilha atual. Um processo peculiar surgiu disto, onde as tangentes começam a informar o projeto principal, como se minha carreira fosse uma mesa de pessoas falando com as outras, em vez uma linha única normal, se movendo para frente.

Journey

Eu gosto de escrever em qualquer gênero de música que você souber e, do mesmo jeito, não há um gênero de jogos que eu não gosto de jogar… e ainda assim, se estivéssemos em uma realidade alternativa onde Journey não existisse e você me perguntasse qual seria o meu jogo dos sonhos (tanto em trilha sonora e para jogar), eu suspeito que eu basicamente acabaria descrevendo Journey. Maravilhosamente, moramos em uma realidade em que este jogo existe. Eu constantemente tenho admiração pelo que tanto a thatgamecompany quanto o Sony Santa Monica fazem, e considero um pedaço de sorte quase surreal fazer parte da Jornada dele. Entendeu?

Clique aqui para ouvir “Woven Variations”.

//Comente também

2 Comentários   1 Resposta

1

+ MarcioBHomem em janeiro 5th, 2012 às 8:30 pm disse:

A cada post sobre o jogo eu fico com mais vontade de tê-lo.


    Austin Wintory's Avatar

     

    + Vinícius Lima em janeiro 6th, 2012 às 11:32 am disse:

    Promete ser um jogão mesmo! ^^


2

+ kikoex em janeiro 7th, 2012 às 12:44 am disse:

Fantastico, lembra bastante El Shaddai, e com essa trilha sonora eu fiquei com a boca no chão!!!


Os comentários estão encerrados. Os comentários são desabilitados para posts com mais de 30 dias.